Buscar
  • Henrique Correia

Empresa de Guimarães dá 500 euros a cada colaborador no Natal; este gesto diz muito



Certamente a Lameirinho não tem dificuldades para encontrar trabalhadores...




São 1000 trabalhadores, entre os que incluem o quadro e os temporários. A empresa chama-se Lameirinho, é uma empresa têxtil de Guimarães. E o que tem esta empresa de diferente em relação a muitas outras? Tem muita coisa diferente, tem por exemplo uma visão e um espírito de equipa e no Natal dá 500 euros a cada um. Não há um que fique de fora, desde a empregada da limpeza ao engenheiro. Uma decisão que todos gostariam de ver no seu espaço geográfico onde se inserem.

A reportagem, na TVI, alertou-nos para uma realidade. E nem de propósito, na mesma estação televisiva, acabara de ser transmitido um outro trabalho sobre empresas na Madeira que viram subir as suas vendas, brutalmente, com a comercialização de álcool gel. Passaram de 1500 litros em 2019 para 50 mil litros agora.

Estas realidades devem merecer reflexão. O valor do trabalho é importante para a dignificação de quem trabalha e para a produtividade. Era muito fácil, à empresa de Guimarães, chegar ao final deste ano, mesmo com lucros, recorrer à pandemia para justificar a ausência de qualquer bónus. Poupava meio milhão. Muitos fizeram isso, muitos fizeram isso com toda a desfaçatez do mundo. Muitos pediram "lay off" ainda a Covid-19 estava a começar e não havia perdas relevantes. É a visão do futuro pela dinâmica humana, em confronto com a visão mercantilista no sentido que um humano é um número. A maior parte dos empresários não segue esta filosofia de que as pessoas também fazem a empresa e não apenas estão nas empresas.

A dialética do trabalho e do emprego na visão do empregado e do empregador, deve ter em conta um plano equilibrado para a gestão do futuro. A visão de estarem em campos opostos é prejudicial para a produtividade. E muitas vezes, os problemas nascem pela impreparação de alguns empregadores, que prevalece sobre o escrutínio do empregado apenas porque as palavras dono e patrão assumem contornos importantes nas sociedades em situação difícil. Como a nossa. Onde se fala mais dos que não querem trabalhar do que aqueles que querem explorar. Sabendo que há bons e maus em ambos os lados.

Certamente a Lameirinho não tem dificuldades para encontrar trabalhadores...

6 visualizações