Buscar
  • Henrique Correia

Empresas já pedem para converter apoios Covid-19 a fundo perdido



Foram enquadradas 2.659 operações de crédito, que correspondem a um montante de 94 milhões de euros, de um total 100 milhões.




A secretaria regional da Economia deu conta que as empresas que beneficiaram de empréstimos no âmbito da linha de apoio INVESTE-RAM COVID-19, lançada pelo Governo Regional em abril de 2020, já estão a solicitar a conversão do empréstimo em fundo perdido.

Para tal, refere uma nota do gabinete de Rui Barreto, "têm de comprovar, cumulativamente, as seguintes condições: redução do volume de vendas de 40% no caso das empresas com sede na Madeira, e de 15% para a empresas do Porto Santo, e a manutenção dos postos de trabalho permanentes, durante 18 meses, a contar da data da contratação do empréstimo.

A solicitação do pedido deve ser feita diretamente à entidade gestora da linha – o Instituto de Desenvolvimento Empresarial, IDE, IP-RAM –, que já disponibilizou no site (www.ideram.pt), a Ficha Técnica e a checklist da documentação exigida.

Findo o período de carência de 18 meses, as empresas têm 30 dias para submeter o pedido ao IDE, que depois de analisar e verificar a documentação, comunicará a decisão às entidades bancárias protocoladas.

A secretaria lembra que "no panorama nacional, a Região Autónoma da Madeira foi pioneira ao lançar uma linha de crédito que permite às empresas transformarem o empréstimo 100% em fundo perdido, mediante o cumprimento das condições definidas no contrato, medida que vai desonerar o balanço das empresas que ainda atravessam dificuldades devido à pandemia".

De acordo com o IDE, até à presente data, foram enquadradas 2.659 operações de crédito, que correspondem a um montante de 94 milhões de euros, de um total 100 milhões.

4 visualizações