Buscar
  • Duarte Azevedo

Esgrima no Palácio de São Lourenço

Palco de excelência numa modalidade com muita história


A esgrima é uma das modalidades desportivas mais antigas de prática na Madeira. Datam do começo do século passado as primeiras informações acerca deste desporto que teve como grande incentivador o Visconde da Ribeira Brava - título nobiliárquico criado por D. Luís I de Portugal, em favor de Francisco Correia de Herédia - vide foto. Relatam as crónicas que este era praticante exímio "em todas as armas, que jogava com reconhecida destreza". Foi, porém, o Tenente Jaime Ramalho o primeiro nome a ter algum destaque na esgrima madeirense, nomeadamente orientando aulas da modalidade aos Bombeiros Municipais do Funchal, ainda antes de 1914. Entretanto, Francisco Correia Herédia, Visconde da Ribeira Brava, juntou a si o continental Carlos Nellis, que veio para a Madeira em 1915, como funcionário da então Junta Agrícola. Habilidoso no manejo, Nellis começou a dar aulas de esgrima no Club Sports da Madeira, criando um grupo interessante de atletas habilidosos - como então era descrito. Ora vem isto a propósito de um acontecimento verificado precisamente há 105 anos. Era 4 de Abril, mas não Domingo de Páscoa. No entanto, foi uma data assinalada pela realização de um Torneio de Esgrima em pleno Palácio de São Lourenço. 'Decorreu muito animada e interessante a partida d'esgrima que se realizou numa das salas do Palácio de S. Lourenço, tomando nela parte os srs. Sebastião Heredia, Carlos Nelis, dr. Paiva Lereno, João Faria, Gordon, Raul Choen e António Vieira Castro' - informava a imprensa da altura. Note-se que o filho do Visconde da Ribeira Brava, Sebastião Herédia foi um desportista distinto, ligado também à esgrima, referido como 'o primeiro olímpico madeirense'. Durante algumas décadas a esgrima continuou a ser uma modalidade muito praticada, então tendo como palcos principais o Parque do Reid's Hotel, a Quinta Pavão e o Casino Vitória. Depois de décadas sem grande expressão, já foi no final do século passado que um nome madeirense saltou para a ribalta, o de Marco Gonçalves, atleta internacional, campeão da Europa. Há alguns anos a viver na Hungria, enveredou pela área do treino, chegando a orientar o selecionado daquele país. De momento, Marco treina um dos principais clubes magiares, o Honved. De acordo com a Demografia Federada 2018/2019, a esgrima na Madeira tinha nessa época 6 clubes na sua prática e 116 atletas. ...Mas será que teremos o espetáculo da esgrima de regresso ao Palácio de São Lourenço?! À consideração de Cristiano Sousa...ESGRIMA NO PALÁCIO DE SÃO LOURENÇO COM NOMES DE RELEVO A esgrima é uma das modalidades desportivas mais antigas de prática na Madeira. Datam do começo do século passado as primeiras informações acerca deste desporto que teve como grande incentivador o Visconde da Ribeira Brava - título nobiliárquico criado por D. Luís I de Portugal, em favor de Francisco Correia de Herédia - vide foto. Relatam as crónicas que este era praticante exímio "em todas as armas, que jogava com reconhecida destreza". Foi, porém, o Tenente Jaime Ramalho o primeiro nome a ter algum destaque na esgrima madeirense, nomeadamente orientando aulas da modalidade aos Bombeiros Municipais do Funchal, ainda antes de 1914. Entretanto, Francisco Correia Herédia, Visconde da Ribeira Brava, juntou a si o continental Carlos Nellis, que veio para a Madeira em 1915, como funcionário da então Junta Agrícola. Habilidoso no manejo, Nellis começou a dar aulas de esgrima no Club Sports da Madeira, criando um grupo interessante de atletas habilidosos - como então era descrito. Ora vem isto a propósito de um acontecimento verificado precisamente há 105 anos. Era 4 de Abril, mas não Domingo de Páscoa. No entanto, foi uma data assinalada pela realização de um Torneio de Esgrima em pleno Palácio de São Lourenço. 'Decorreu muito animada e interessante a partida d'esgrima que se realizou numa das salas do Palácio de S. Lourenço, tomando nela parte os srs. Sebastião Heredia, Carlos Nelis, dr. Paiva Lereno, João Faria, Gordon, Raul Choen e António Vieira Castro' - informava a imprensa da altura. Note-se que o filho do Visconde da Ribeira Brava, Sebastião Herédia foi um desportista distinto, ligado também à esgrima, referido como 'o primeiro olímpico madeirense'. Durante algumas décadas a esgrima continuou a ser uma modalidade muito praticada, então tendo como palcos principais o Parque do Reid's Hotel, a Quinta Pavão e o Casino Vitória. Depois de décadas sem grande expressão, já foi no final do século passado que um nome madeirense saltou para a ribalta, o de Marco Gonçalves, atleta internacional, campeão da Europa. Há alguns anos a viver na Hungria, enveredou pela área do treino, chegando a orientar o selecionado daquele país. De momento, Marco treina um dos principais clubes magiares, o Honved. De acordo com a Demografia Federada 2018/2019, a esgrima na Madeira tinha nessa época 6 clubes na sua prática e 116 atletas. ...Mas será que teremos o espetáculo da esgrima de regresso ao Palácio de São Lourenço?! À consideração de Cristiano Sousa...


8 visualizações

Posts recentes

Ver tudo