Buscar
  • Henrique Correia

Europa aprova estratégia para o turismo sustentável; inclui certificado de vacinação



O relatório intitulado “Estabelecer uma estratégia da União para o Turismo sustentável” é da autoria da deputada Cláudia Monteiro de Aguiar, coordenadora do Grupo Popular Europeu da Task Force do Turismo na Comissão dos Transportes e Turismo




O Parlamento Europeu aprovou, ontem, por uma larga maioria (577 votos a favor, 31 contra e 80 abstenções) o relatório intitulado “Estabelecer uma estratégia da União para o Turismo sustentável”, da autoria da deputada Cláudia Monteiro de Aguiar, coordenadora do Grupo Popular Europeu da Task Force do Turismo na Comissão dos Transportes e Turismo.

A estratégia defendida pela eurodeputada do PSD assenta em 4 Rs: restabelecer planos de resposta à Covid19, recentrar a política de governação no quadro da União, reforçar a necessidade e os apoios que permitam a transição para um turismo sustentável, responsável e inteligente e, por último, mas não menos importante, repensar a indústria, enquadrando-a e preparando-a para os desafios do futuro

Cláudia Monteiro de Aguiar congratula-se pelo facto de a Comissão Europeia “ter demonstrado vontade de colocar em execução algumas das medidas presentes no documento”.

“O certificado de vacinação incluído neste relatório, em outubro passado, e apresentado agora pela Comissão, é o primeiro passo da União para coordenar a desarticulação dos 27 Estados-Membros, mas não pode deixar de ser acompanhado pelo reforço e pela dinamização do processo de vacinação, que se quer célere e urgente” afirmou, a esta propósito, a Eurodeputada do PSD, vincando a urgência de impulsionar, em segurança, esta atividade, de modo a melhor preparar a época alta de verão e recordando que a Europa, primeiro destino turístico do mundo, recebeu em 2020 menos 70% de turistas internacionais face ao ano anterior, colocando em risco entre 6 a 11 milhões de empregos.

“A indústria do turismo e viagens precisa de liquidez para o curto prazo, de modo a evitar o flagelo das insolvências e, com isso, salvar postos de trabalho e garantir a estabilidade das populações, assim como precisa de capitalização e reforço dos capitais próprios para garantir o seu futuro, já que a recuperação se prevê difícil e longa. Por isso, os planos de recuperação de cada um dos 27 têm de incluir projetos para o Turismo, até porque sem apoio não há transição verde e digital”, sublinha a Social-democrata.

5 visualizações