top of page
Buscar
  • Foto do escritorHenrique Correia

Fazer queixas à PSP e à GNR é canalizar esforços em vão



A ANIMAD não poupa nas críticas: "Até hoje, não tem um único caso onde houvesse culpados, só animais vitimas".


Foto ANIMAD.


A Associação ANIMAD está revoltada com a posição da polícia desvalorizando um problema grave na cidade do Funchal: maus tratos a animais por parte de alguns sem abrigo. A associação fez a denúncia no JM e por esta via a PSP insinuou que a ANIMAD está a estigmatizar cidadãos. Diz a autoridade que não há queixas.

Hoje, na página do Facebook, Natália Vieira, representando a associação, responde à PSP com um comunicado arrasador de quem ten conhecimento no terreno de situações que preocupam os cidadãos todos os dias.

A ANIMAD diz que "já se passaram quase 3 anos e que os consumos de drogas aumentam drdrasticamentna RAM assim como esta situação, para o caso de, por algum motivo andarem distraídos.

Respeitamos todos os elementos de segurança e com eles temos e sempre tivemos bons relacionamentos de parceria. Infelizmente, não temos voluntários destas forças connosco, como alguns, mas sempre tivemos bons relacionamentos com todos eles.

No entanto, e pela nossa experiência, fazer queixas, tanto PSP como GNR é canalizar esforços em vão. Até hoje, todos os processos que fizemos ou foram arquivados ou não deram em nada. Por esse motivo utilizamos o trabalho de sensibilização no terreno como arma".

Natália Vieira compreende que a lei não ajuda. "No entanto, para quem se senta horas numa secretária a fazer queixa de uma situação, muitas vezes olhada como o próprio criminoso, o arquivo de processos desmotiva qualquer um. A ANIMAD sempre teve imenso cuidado nos casos de maus-tratos, filtrando os mesmos de meras banalidades aos mais sensíveis antes de fazer as respectivas queixas. No entanto, até hoje, não tem um único caso onde houvesse culpados, só animais vitimas"

Perante toda esta situação deve-se entender o porque de grande parte da população não fazer denuncias. No entanto, o nosso apelo é de que se faça sempre. Sim, a população deve insistir nas denuncias aos responsáveis e, os responsáveis devem de começar a olhar para esta problemática de uma forma mais assertiva.

A ANIMAD diz que "sempre foi contraditória à forma como se alimentou toda a situação dos sem abrigo ao longo das últimas décadas. Aceite-se ou não, alimentou-se toda esta situação simplesmente nada mais.

Não se trata de estigmatizar indivíduos vulneráveis trata-se de encontrar soluções para a decadência destes seres e a segurança destes animais. Estigmatizar é deixar tudo como está! Convém deixarmo-nos de dramatismos, de inocentes e culpados e começarmos a resolver.

Estes indivíduos não precisam só de comida nem palmadinhas nas costas! Estes indivíduos já estão no limiar dos seus limites, muitos até já ultrapassaram essa linha sem retorno. Urge encontrar locais específicos para o tratamento desta gente, tirá-los das ruas e encontrar formas de conseguirem voltar à sociedade e, se não conseguirem, o que é o caso de muitos, terem onde ficar.

Perante tudo isto, só lamentamos que continuemos a «laissez faire, laissez aller, laissez passer".


6 visualizações

Commentaires


bottom of page