Buscar
  • Henrique Correia

Federação Portuguesa de Voleibol põe madeirenses fora da Taça de Portugal

CS Marítimo e CS Madeira impedidos de participar na 'prova rainha'

A Federação Portuguesa de Voleibol (FPV) decidiu, neste 11 de Fevereiro, colocar as equipas madeirenses fora da Taça de Portugal. Assim mesmo, sem jogarem! Justifica a FPV essa decisão com base "no seguimento da decisão do Governo Regional da Madeira em suspender todas as competições regionais do desporto não profissional, em todas as modalidades desportivas, pelo período de trinta dias, como medida de contenção da pandemia da Covid19 [Resolução nº 839/2020, da Presidência do Governo Regional da Madeira, de 5.novembro.2020], medida esta, entretanto, renovada até ao próximo dia 21.fevereiro.2021", concluindo que a exclusão das formações madeirenses visa "a salvaguarda da verdade desportiva". O que, no mínimo, é estranho. Salvaguarda da verdade desportiva?! Ups...

Sabe-se que a FPV, sobretudo no caso dos masculinos, começava a ficar sem datas para a realização do Académica de Espinho-Marítimo, jogo que iria apurar uma equipa para a final 8 da Taça de Portugal, mas julgamos que esta atitude não terá sido a mais positiva. Para mais, impede o seu filiado madeirense de lutar pelo acesso a uma final 8 que seria histórica no seu currículo.

Já o CS Madeira, que deveria jogar com a Universidade Lusófona, teria mais tempo para cumprir o(s) jogo(s) em falta - a final 4 feminina é mais tarde - mas levou pela mesma medida.

Curioso é que Marítimo (masculinos) e CS Madeira (femininos) pertencem à II Divisão Nacional, competição que neste momento está suspensa no continente - mas na Taça de Portugal essas equipas são equiparadas a profissionais. Vá lá entender-se a lógica disto...

6 visualizações