Buscar
  • Henrique Correia

Fogo no ar e restrições em terra "dizem" adeus a um ano para lembrar e para esquecer


Os estabelecimentos comerciais dos pontões das ribeiras terão de desocupar os espaços a partir das 23 horas. As embarcações marítimo-turísticas, se ficarem atracadas, não poderão ter pessoas a bordo entre as 23.00 horas e as 00.45 h



Hoje há fogo de artificio, na Madeira, assinalando a passagem de um ano de dificuldades, 2020, para um ano de esperança, 2021. Um fogo que promete ser diferente, que começa poucos momentos antes da meia noite, até nisso é diferente. Como diferente será o facto de haver menos turistas do que o habitual para um cartaz turístico desta dimensão. E muitas restrições para que os locais venham assistir ao espetáculo na baixa do Funchal, onde foram colocados quadrados e alcatifas, com capacidade para cinco pessoas, de preferência da mesma família, para um total de 10.300 pessoas. O resto, vê em casa, pela RTP-M, como aconselha o Governo. É um ano para lembrar e, ao mesmo tempo, para esquecer.

Neste âmbito, haverá como habitualmente muitos condicionalismos no porto do Funchal, designadamente em termos de atividades marítimas, a merecer a publicação de um edital para o efeito, referindo, o lançamento de 25 postos de fogos no Cais 8 e pontões do Almirante Reis.

A Capitania do Porto do Funchal estipula que “na frente mar entre o Cais 8 e os pontões da Almirante Reis, sendo interdita toda a navegação á distância de 150 metros para o mar e 60 metros para terra a partir dos locais mencionados, entre as 23:15 horas do dia 31 de dezembro de 2020 e as 00:30 do dia 01 de janeiro de 2021.”

Nesta conformidade a Administração dos Portos da Região Autónoma da Madeira, S.A. deu conta que o perímetro de segurança para terra é de 60 metros no sentido norte, ficando vedada ao público a área do cais de recreio do porto do Funchal até ao heliporto;

APRAM refere, ainda, que "os responsáveis das embarcações marítimo-turísticas, bem como outras existentes no cais de recreio do porto do Funchal, que, querendo, poderão sair para o mar, mas até às 23.00 horas do dia 31-12, só podendo retornar a partir das 00.45 horas do dia 01-01."

Informa, também, que "as embarcações marítimo-turísticas, bem como outras existentes no cais de recreio que pretendam sair para o mar, não poderão permanecer ou fundear dentro do raio de 150 metros para sul determinado pelo referido edital. Dá conta que "os responsáveis das embarcações marítimo-turísticas, bem como outras existentes no cais de recreio do porto do Funchal que sejam abrangidas pelo perímetro de segurança de 60 metros, que, caso permaneçam atracadas no cais, não poderão ter pessoas a bordo entre as 23.00 horas e as 00.45 h.

Os estabelecimentos comerciais dos pontões das ribeiras terão de desocupar os espaços a partir das 23 horas.

0 visualização