Buscar
  • Henrique Correia

Funchalenses podem votar em projetos favoritos; está previsto investir meio milhão


É também possível votar através do autocarro do OP Funchal, que vai percorrer as diversas freguesias do Funchal



Já está a decorrer a votação final da 3.ª edição do Orçamento Participativo do Funchal, desde 17 de dezembro, na respetiva plataforma online, em https://op.cm-funchal.pt, ou através do envio de um SMS gratuito para o número 4310, contendo a seguinte informação: OPF(espaço)+Nº do projeto(espaço)+Nº do BI/CC. Cada participante poderá votar em dois projetos diferentes, das 30 propostas que estão disponíveis para votação. O valor inscrito para esta iniciativa é de meio milhão de euros.

Segundo refere a Autarquia, no site funchal.pt, "a grande novidade da votação final deste ano é uma plataforma online e um sistema de votação por mensagem, que permite que todos os funchalenses possam votar nas suas propostas favoritas a partir de casa ou de qualquer dispositivo móvel.”

A votação pode, ainda, ser feita nos balcões do OP, situados no Teatro Baltazar Dias (18 de dezembro), Mercado dos Lavradores (20 de dezembro), Junta de Freguesia de Santa Maria Maior (21 de dezembro), Junta de Freguesia de São Pedro (22 e 28 de dezembro), Junta de Freguesia do Imaculado Coração de Maria (29 e 30 de dezembro), Museu Henrique e Francisco Franco (4 de janeiro), Junta de Freguesia de São Martinho (7 de janeiro), Ginásio Municipal de Santo António (11 de janeiro) e Mercado da Penteada (dia 13 de janeiro). O mesmo site revela que, paralelamente a estas opções, é possível votar, ainda, através do autocarro do OP Funchal, que vai percorrer as diversas freguesias do Funchal, sendo que o mesmo está estacionado nos Paços do Concelho, seguindo depois para São Gonçalo, junto ao Largo do Stop (5 e 6 de janeiro), Igreja da Nazaré (8 de janeiro), Pico das Romeiras/Courelas (12 de janeiro), e Largo da Fonte (14 e 15 de janeiro).

O Presidente da CMF, Miguel Silva Gouveia, refere que “apesar da pandemia ter alterado os hábitos dos funchalenses, não podíamos permitir que a participação cívica e a democracia fossem suspensas, e como tal, adaptámos esta 3ª edição do OP, para que ela se pudesse realizar com todo o conforto e segurança.

7 visualizações