Buscar
  • Henrique Correia

Governo não vai submeter à concorrência alguns trabalhos do novo Hospital


Pedro Fino explica: "Pretendemos não submeter à concorrência trabalhos com uma forte dependência de materiais que necessitam ser importados, considerando a instabilidade que se vive no mercado".




O concurso para a 2ª fase do Hospital Central e Universitário da Madeira avança e dentro do prazo previsto. A garantia é de Pedro Fino, o secretário regional dos Equipamentos e Infraestruturas.

“O início desta importante obra foi, sem dúvida, uma vitória para a Madeira e os Madeirenses e importa agora dar a devida continuidade e sequencialidade dos trabalhos em curso”, salienta o Secretário Regional de Equipamentos e Infraestruturas, Pedro Fino.

A segunda fase contemplará os trabalhos de estruturas, alvenarias e espaços exteriores e terá como preço base 75 milhões de euros + IVA, com um prazo de execução de dois anos.

“Nesta segunda fase pretendemos não submeter à concorrência trabalhos com uma forte dependência de materiais que necessitam ser importados, considerando a instabilidade que se vive no mercado, com o aumento galopante dos preços das matérias-primas de construção”, esclarece o governante.

9 visualizações