Buscar
  • Henrique Correia

Governo Regional não vai fechar escolas nem vai dar tolerância de ponto


Até à data, só cerca de 2% dos alunos (800 alunos) é que estiveram em aulas não presenciais como resultado da ativação dos planos de contingência.

Ou seja, um número residual


Os casos positivos de Covid-19 com ligações a escolas, na Região, têm aumentado. Mas o Governo Regional não vai antecipar o fim do primeiro período de aulas.

Em comunicado, a secretaria da Educação refere que "não havendo até agora, transmissão comunitária ativa na RAM, e tendo havido resposta positiva às situações ocorridas pelo atual sistema implementado, seria contraproducente suspender as aulas presenciais ou introduzir fatores que conduzam à aglomeração de pessoas em espaços não controláveis".

Acrescenta a secretaria que "a segurança da comunidade educativa e famílias é mais adequado, do ponto de vista preventivo perante o atual cenário pandémico, a continuação de aulas presenciais".

O Governo revela que "na Região, até à data, só cerca de 2% dos alunos (800 alunos) é que estiveram em aulas não presenciais como resultado da ativação dos planos de contingência.Ou seja, um número residual.

Assim, não se justificam a aplicação na Região das tolerâncias de ponto, da limitação de circulação de cidadãos entre concelhos e dos consequentes confinamentos, decretados pelo Governo da República com o objetivo de mitigar o alastrar da situação pandémica no território continental, onde a situação é muito mais grave do que na RAM.

No comunicado, a secretaria de Jorge Carvalho acentua que "até agora não surgiu, em nenhum estabelecimento de ensino qualquer situação de descontrolo, nem existem quaisquer cadeias de transmissão ativas, sendo que o número de casos reportados ao universo estudantil na sua maioria tem origem na comunidade externa à escola. Em todas as situações, até agora reportadas, os encarregados de educação avisam atempadamente o estabelecimento de ensino, no qual são imediatamente acionadas as medidas preventivas que se impõem, como aliás tem sido do conhecimento da opinião pública".

De referir que a comunidade educativa na Região é constituída por cerca de 42.000 alunos 6.000 professores e 4.000 funcionários.





6 visualizações