Buscar
  • Henrique Correia

Igreja e Convento de Santa Clara recuperados por 2,3 milhões de euros



"Este é o único convento do século XV da Região (as suas obras iniciaram-se em 1492), sendo uma das casas religiosas mais importantes a nível nacional, à época"




O presidente do Governo Regional vai visitar amanhã, dia 7 de abril, pelas 11.30 horas, as obras em curso de “Beneficiação Global da Igreja e Convento de Santa Clara” e de conservação e restauro do respetivo património artístico, móvel e integrado.

A beneficiação global da Igreja e Convento de Santa Clara está orçada em 1.265.038,60 euros, a conservação e restauro do património artístico, móvel e integrado em 1.024.800 euros, num investimento de cerca de 2,3 milhões de euros, em parte apoiado pelo FEDER.

Uma nota da Quinta Vigia lembra que "o projeto de reabilitação e restauro consiste na redefinição da área visitável, na recuperação generalizada dos edifícios e espaços que a constituem, na conservação e restauro do espólio artístico existente e na dinamização e divulgação do monumento através da publicação de um guia ligado à sua história"

A mesma informação acrescenta que " a primeira fase, em conclusão, incide na reabilitação e restauro do Convento de Santa Clara, visando a beneficiação global da infraestrutura, nomeadamente no que à recuperação das áreas visitáveis (igreja, coro alto e antecâmaras, futuras salas de exposição, capelas, futura área de reserva, claustro e portaria) diz respeito".

Este é o único convento do século XV da Região (as suas obras iniciaram-se em 1492), sendo uma das casas religiosas mais importantes a nível nacional, à época e contém, no seu espólio pinturas, esculturas, azulejos, talha, mobiliário, elementos construtivos e decorativos únicos.

De acordo com o documento do gabinete de comunicação da Quinta Vigia, "a segunda fase dos trabalhos, também já em curso, na conservação e restauro do património artístico, móvel e integrado, do qual se destacam as pinturas, esculturas, talhas e azulejaria, tendo por base o caderno de encargos desenvolvido pelos técnicos do Laboratório José de Figueiredo e do Museu Nacional do Azulejo, da Direcção-Geral do Património Cultural.

A última fase consiste na aplicação de um projeto de museologia, tendo em vista a interpretação do monumento, incluindo duas salas de exposição que irão permitir mostrar ao visitante peças que até agora permaneciam guardadas ou descontextualizadas.

O texto diz, ainda, que se prevê que "este último projeto seja implementado no último trimestre de 2021, pelo que só depois poderá ser possível reabrir ao público todas as áreas visitáveis do Convento de Santa Clara.

O Governo Regional pretende ainda que este imóvel faça parte integrante de um roteiro cultural e turístico do Funchal e da própria Região. Para esse efeito, será produzido material gráfico e desenvolvido um plano de comunicação.


3 visualizações