Buscar
  • Henrique Correia

Jaime Filipe no Quebra Costas para "levar" Lei de Finanças Regionais a Jardim

Atualizado: 17 de Mar de 2021



O que lá vai, lá vai, e Jardim ainda é uma espécie de conselheiro, pelo menos não querem tê-lo de lado, agora. Nem Albuquerque.




Causou estranheza e especulação uma visita recente do líder parlamentar do PSD Madeira ao Quebra Costas, onde Alberto João Jardim tem gabinete fixo, na casa da Fundação. Imagens publicadas pelo Funchal Notícias, deram expressão a esse momento. A estranheza não foi propriamente por ser visita de um social democrata integrado na chamada ala renovadora do partido, que entrou quando Jardim saiu, porque mesmo muitos desses, se não vão ao Quebra Costas, andam muito perto. O que lá vai, lá vai, e Jardim ainda é conselheiro, pelo menos não querem tê-lo de lado, agora. Nem Albuquerque.

Mas a especulação era por outro motivo. A previsível saída de Pedro Calado para assumir uma candidatura à Câmara do Funchal, diziam fontes próximas de Albuquerque, fez o líder lançar algum "estudo de mercado" para ver a cotação de Jaime Filipe Ramos numa eventual entrada no Governo, "consulta" que não correu lá muito bem.

Talvez por isso, por não ter ninguém à altura de entrar como vice presidente, com o peso que Calado tem, exista a possibilidade de não haver vice e passar a existir um secretário das Finanças, como avança hoje o JM, onde Pedro Calado tem aparecido com a estratégia preparatória do anúncio que o PSD-M se prepara para fazer esta semana, relativamente à candidatura à Câmara do Funchal, em coligação com o CDS.

Mas na verdade, a ida de Jaime Filipe Ramos ao gabinete de Jardim, não teve propriamente a ver com uma hipotética entrada no Governo, o que não quer dizer que esta alteração governativa não tivesse estado em análise, mas sim para dar conhecimento ao antigo presidente do Governo do documento que o PSD está a ultimar para a alteração à Lei de Finanças Regionais.

Recorde-se, a este propósito, o que disse o secretário-geral do PSD-M, recentemente, sobre este documento importante paraa Região:

"É preciso notar que a nossa vontade, plasmada na proposta recentemente apresentada – aliás, é importante relembrar que o PSD/M e o CDS/M foram pioneiros na abordagem e na luta por esta revisão – vai no sentido de criarmos uma Lei mais justa e equilibrada e, acima de tudo, assente na convicção de reforçarmos a nossa capacidade e os nossos poderes para defender os interesses da Madeira no todo nacional".







13 visualizações