Buscar
  • Henrique Correia

Jardim elogia vitória do PSD mas critica Governo: "Injusta e surrealista esta mexida"


Em artigo no JM, Jardim defende coligação com o CDS em toda a linha, diz que Pedro Coelho é hoje "um dos melhores Políticos da Madeira e do PSD" e dá um abraço de "consideração e de amizade", a Paulo Cafôfo e Miguel Silva Gouveia".



Como era esperado, Alberto João Jardim fez o balanço das eleições autárquicas no seu habitual artigo no JM. E também como se esperava, fez elogios à campanha do PSD-M, onde de resto participou ativamente, mandou alguns recados para o partido e fez o previsível em termos de análise à Jardim: obviamente nada independente, logo passível de credibilizar quanto baste em matéria de quem perde e de quem vence. Para Jardim, como se sabe, o PSD ganha por mérito, os outros nem por isso, onde o PSD não ganha não funcionou a democracia. É um problema que Jardim "carrega" e não é agora que vai mudar.

Mas o escrito tem uma no "cravo": "PSD está unido, vitória brilhante; outra na "ferradura": "Injusta e surrealista esta mexida no Governo", referindo-se à substituição de Augusta Aguiar por Rita Andrade na secretaria da Inclusão. E tem outra curiosa: "Um abraço de Consideração e de Amizade, ao Dr. Paulo Cafôfo e ao Eng. Miguel Silva Gouveia".

Mas há uma referência que, para Jardim, era impensável há uns anos, era mesmo impossível nos seus anos de governação. Na altura, coligado, nunca. Mas hoje, mudou e faz esta declaração surpreendente vinda de onde vem: "Alimentar a Coligação PSD/CDS em todo o território autónomo". E depois, a estratégia: "Há que continuar este caminho de unir com sinceridade o PSD/Madeira, após os anos negros 2012-2017".

Mas fazendo o necessário filtro à análise, conseguimos reter posições interessantes, também como sempre acontece com Jardim, é preciso reconhecê-lo. Algumas dessas posições poderão mesmo fazer "mexer" na cadeira certos "barões", os que são e os que se julgam, do partido. Como esta por exemplo: "Outro grande triunfo, o do Dr. Pedro Coelho, hoje um dos melhores Políticos da Madeira e do PSD, pois só assim a inteligência e a grandeza de Espírito que é apanágio do Povo do Concelho de Câmara de Lobos, continuaria a dar-Lhe Confiança nestes moldes esmagadores".

Esta opinião, de quem foi mandatário, reforça a ideia do estatuto que Pedro Coelho ganhou no PSD, um ativo que depois destas eleições e do "pleno" conquistado, assume-se como uma personalidade que no futuro pode vir a ter papel muito importante na estrutura partidária regional. Se parte do partido deixar de lado certas "resistências" inconsequentes por receio do protagonismo a que Rui Barreto, líder do CDS m mas coligado com o Governo, chamou de vaidade.

Mas neste escrito, Jardim focou um outro aspecto interessante, o resultado na Ponta do Sol. Aqui com recados ao PSD e ao CDS: "Não me surpreendeu minimamente o resultado na Ponta do Sol. De facto, desta vez, reconstruíu-se a unidade do PSD após 2013 e 2017 mas, desastrosamente, ainda andou dedo do "núcleo duro" do fundamentalismo "renovadinho" nalgumas escolhas, bem como faltou a organização inteligente e eficaz do tempo do Eng. Rui Marques. Mais grave. O CDS roer a corda, num exercício de narcisismo aldeão que se a Direcção regional do referido Partido não trava a tempo..."

Esta análise do presidente honorário do PSD-M, presidente do partido e do Governo durante mais de 40 anos, teve ainda aspetos que poderão suscitar curiosidade. Um deles sobre São Vicente: "Em São Vicente, o esperado resultado excelente. Mas, como em todos os projectos políticos pessoalizados, é urgente se pensar já no "depois"; "O "banho" que o PSD de Santana apanhou, resulta da sua atitude de não querer Coligação, cuja defesa eu mantenho como necessidade em todos os Concelhos. E o resultado para a Assembleia Municipal diz tudo... mas não é surpresa".

42 visualizações