Buscar
  • henriquecorreia196

Jardim polémico: "Santa Cruz tornou-se numa Ribeira Seca em ponto grande"


Na "mãozinha" que foi dar a Brício Araújo, o antigo presidente do Governo fez uma intervenção à moda antiga. Com recados para o povo: "O que é que ganha em estar contra o Governo?"



Jardim foi a Santa Cruz para ajudar Brício Araújo, mas acabou por lançar polémica ao questionar o povo: "O que é que ganha em estar contra o Governo?"


Santa Cruz é um concelho liderado pelo Juntos Pelo Povo, é um daqueles concelhos que o PSD perdeu mas que quer recuperar a 26 de setembro, uma missão muito difícil para o candidato Brício Araújo, advogado, ex-presidente da Ordem dos Advogados na Região e deputado social democrata na Assembleia Regional.

Uma prova das dificuldades foi a presença, hoje, dos chamados "pesos pesados" do partido, entre eles Miguel Albuquerque, o líder, bem como o antigo presidente do Governo e do partido, Alberto João Jardim, convocado para operações difíceis depois da ausência na primeira linha da política ativa durante algum tempo.

E o resultado, da intenção, que ainda não dos votos, foi a intervenção deveras polémica, o que corresponde ao estilo de Jardim, parecia o líder dos tempos do "ou estão comigo ou contra mim".

A frase mais polémica, provavelmente desta campanha global do PSD, foi esta: "Santa Cruz tornou-se numa Ribeira Seca em ponto grande". Como se sabe, Ribeira Seca é a terra do padre Martins Júnior, a chamada "terra libertada", que também foi referência nesta intervenção de Jardim. O antigo presidente do Governo enfrentou, nesse tempo, uma "pedra no sapato". E lembra-se disso, do padre de esquerda que chegou a mandarna Câmara: "Quando foi presidente da Câmara, o padre Martins nunca ia assinar os contratos com o Governo para dizer que o Goveno não fazia nada. Fomos fazer as obras e esclarecer o povo. Depois, o padre Martins foi posto a andar".

Alberto João Jardim subiu ao palco, no Caniço, nesta apresentação de Brício Araújo, para uma intervenção à moda antiga. Dizendo que o povo deve escolher quem melhor serve os seus interesses. E quem melhor serve, claro está, para Jardim, é o PSD. Por ser governo e para acabar com este ambiente de hostilidade da Câmara contra o Governo. "O que é que ganha em estar contra o Governo?"

Para Jardim, remetendo-nos para o seu tempo, a governação da Madeira era uma Armada, onde as Câmaras faziam parte "sem quintinhas". Aliás, pir u.a questão de feitio, isso não seria possível. Ou seja, o que Jardim acha do ideal é um Governo PSD, agora lá terá de ser com o CDS, mas as Câmaras, para ficar tudo bem, devem ser todas da cor do Governo. E ponto final. Estava, assim, dado o "recado" ao povo de Santa Cruz. Um recado provavelmente pouco democrático, mas o momento era do tudo ou nada na mensagem partidária, valendo até a mensagem limite, que só Jardim sabe usar, de colocar Filipe Sousa a par do padre Martins.

Bruna Gouveia, candidata à Assembleia Municipal, é outro dis trunfos de Brício. A "cara" da comunicação sobre a pandemia, na Região, durante uma primeira fase, subiu ao palco, no Largo em frente à Igreja Matriz, para mostrar empenho em ajudar a candidatura “Cumprir Santa Cruz”, liderada por Brício Araújo, com o objetivo de devolver a Santa Cruz o dinamismo que o PSD entende como o mais adequado para o desenvolvimento do concelho.

41 visualizações