Buscar
  • Henrique Correia

Jornais revelam reunião do PSD-M na Quinta Vigia para tratar da estratégia autárquica



Percebe-se que o presidente do PSD Madeira já estava ali investido nas funções de presidente do Governo e a agenda, sobrecarregada, recomendava não se deslocar à Rua dos Netos só pelo politicamente correto


Miguel Albuquerque reuniu-se hoje, na Quinta Vigia, com os cinco presidentes de juntas de freguesia do Funchal eleitos pelo PSD. Nesse encontro, segundo noticiaram os dois jornais, o JM e o DN, com sensivelmente meia hora de diferença, com vantagem para o DN, estiveram presentes Pedro Calado, vice do Governo e potencial candidato à Câmara do Funchal, e José Prada, o secretário-geral do partido.

Os mesmos jornais adiantam que o assunto prendeu-se com as eleições autárquicas, foram ouvidos dirigentes do partido, foram feitos planos mas não falaram em nomes. E até disseram que este encontro, ao almoço, não era o primeiro da estratégia do PSD para as autárquicas. Nem era o último, parece que esta sexta-feira há mais, inclusive o ex-PSD e agora independente apoiado pelo PSD, Ricardo Nascimento, deverá estar presente.

Soube-se, por essas informações, que o PSD está afinando "agulhas" para as eleições, contrariando aquelas vozes críticas internas que davam conta de algum atraso na preparação das autárquicas. Soube-se, também, que os presidentes de juntas vão conhecendo, na Quinta Vigia, a estratégia da Rua dos Netos, conscientes que vão de mão dada com o CDS, como já foi anunciado.

Mas houve silêncio em dois pontos fundamentais: primeiro lugar, os candidatos, ainda é cedo para avançar com nomes, primeiro a estratégia e depois as escolhas, tudo certo; em segundo lugar, as razões destas reuniões partidárias terem lugar na Quinta Vigia, sede do Governo Regional. Percebe-se que o presidente do PSD Madeira já estava ali investido nas funções de presidente do Governo e a agenda, sobrecarregada, recomendava não se deslocar à Rua dos Netos só pelo politicamente correto, ninguém se importava com isso. E talvez tenha razão Miguel Albuquerque. Há coisas que já não se dá por nada, o que é preciso é ser prático em praticamente quase tudo. Talvez não neste caso, mas pronto.

Além do mais, não é a primeira vez que isto acontece, já aconteceu em diversos momentos no passado, não sei se ao almoço, mas talvez ao lanche tenha acontecido, ou até em "seco", sem direito a um copo com água. Por isso, nem pega esse argumento para dar preocupações ao líder.

A única coisa que "pegava" era se efetivamente fosse para ser diferente do que era. Como chegou a parecer. Não foi este o caso...e isto aplica-se a qualquer partido que chegasse ao Governo e fizesse o mesmo.






15 visualizações