Buscar
  • Henrique Correia

Lopes da Fonseca vaticina coligação além de 2023 e desvaloriza as "quezílias"


"Foi em nós que as populações depositaram confiança e não na oposição".




"Mais do que se preocuparem com "quezílias internas" dos próprios partidos, temos é que nos preocupar com a oposição, no sentido em que iremos continuar a priorizar a resolução dos problemas das populações, independentemente daquilo que cada um considere que é o melhor para as mesmas porque, na verdade, foi em nós que as populações depositaram confiança e não na oposição. Quem governa para as populações é esta maioria e não é a oposição que vai governar a Madeira nos próximos anos!".

Estas declarações foram proferidas por Lopes da Fonseca, líder parlamentar do CDS, no âmbito das Jornadas Parlamentares da coligação PSD/CDS, que visa a abordagem sobre o Orçamento.

O deputado centrista considerou que "neste Orçamento, continuamos a ter as preocupações sociais que estão salvaguardadas pelas verbas que nos foram apresentadas na intervenção do Secretário Regional das Finanças, Dr. Rogério Gouveia, e por outro lado, temos também incrementos substanciais na ordem dos milhões de euros, sobretudo para a área econômica, o que se revela uma boa notícia para as empresas".

Falando das empresas, Lopes da Fonseca afirma elas, as empresas, "são quem cria emprego, focados nestes que são factores cruciais para mantermos este destino da nossa região que, felizmente, estamos a ultrapassar, mas que exigirá de nós cada vez mais este equilíbrio e esta confiança mútua para que as populações continuem a acreditar neste projeto que se irá manter até 2023 e, certamente poderemos prolongá-lo para além de 2023".


8 visualizações