Buscar
  • Henrique Correia

"Loura da Camacha" homenageada com peça escultórica



Maria Ascensão faria 95 anos esta quinta-feira e Albuquerque vai estar presente em cerimónia na Casa do Povo




A presidência do Governo Regional anunciou hoje que Miguel Albuquerque estará esta quinta-feira, 13 de maio, pelas 12 horas, na Camacha, para presidir à cerimónia de descerramento de peça escultória de homenagem a Maria Ascensão, em evento a ter lugar nas instalações da Casa do Povo da Camacha.

Esta homenagem será promovida no dia em que Maria Ascensão, conhecida popular e carinhosamente como a Loura da Camacha, faria 95 anos. Homenagem já estava prevista há mais tempo, mas por diversas razões, entre económicas e logísticas, a que acresceu a pandemia, não se pôde realizar mais cedo.

Segundo uma informação da Quinta Vigia, o Monumento escultórico é constituído por duas peças. Trata-se de um busto em bronze da Maria Ascensão feito pelo escultor Nicolau Viana. Por outro lado, a base onde assenta o busto é em basalto da ilha da Madeira e é talhada e esculpida pelo escultor Zé Baptista.

A Quinta Vigia revela, aibda, alguns dados desta figura emblemática da cultura madeirense, que levou o nome da Madeira ao mundo, um papel relevamte da homenageada na dinamização do folclore e da Cultura madeirense, bem como o papel de embaixadora da freguesia da Camacha e da própria Região.

Maria Ascensão Fernandes Teixeira nasceu na Camacha a 13 de maio de 1926 e faleceu a 18 de março de 2001.

Integrou e foi a “alma mater” do Grupo Folclórico da Casa do Povo da Camacha durante várias décadas, tornando-se uma das referências do folclore madeirense, como bailarina, cantora, dirigente e formadora de novos elementos.

Desde os seus 20 anos correu mundo com o Grupo Folclórico da Casa do Povo da Camacha, acompanhada pelo seu marido Abel Freitas (desde 1957). Na década de 60, o casal acabou por assumir a responsabilidade da direção da Casa do Povo da Camacha.

Foram-lhe atribuídas várias distinções e também foi homenageada, já a título póstumo, com a criação da Gala Internacional do Folclore Maria Ascensão, um festival de folclore organizado pelo Grupo de Folclore da Casa do Povo da Camacha.



Algumas datas importantes na vida de Maria Ascensão:


1949: Integra o Grupo de Folclore da Casa do Povo da Camacha.

1949: Foi entrevistada e fotografada pela revista Século Ilustrado (Lisboa).

1949: Participação no Grande Concurso Internacional de Danças de Madrid (2º lugar)

1950: Participação no documentário “Pérola do Atlântico” de Artur Agostinho e João Villaret.

1951: Atuação em Espanha (Biarritz, Saragoça, Madrid) e Portugal (Lisboa).

1951: Participação no documentário “Madeira Story”, realizado por Horace Zino.

1951: Referência num artigo na revista “Flama” sobre a importância do Grupo Folclórico da Camacha, na propaganda dos Costumes da Madeira.

1954: Participação na Festa da Primavera (Funchal).

1955: Participação no festival internacional do País de Gales (Inglaterra),

1956: Participação num evento etnográfico em Braga.

1962: Participação no Festival Internacional de Folclore realizado pela Estoril–Sol (Portugal).

1965: Atuação em Joanesburgo (África do Sul).

1971: Digressão Europeia.

1973: Digressão aos Estados Unidos da América.

1977: Digressão na África do Sul.

1978: Digressão na Venezuela,

1984: Integra a comissão de recuperação do ritual da Festa do Espírito Santo.

1985: Homenageada pela Secretaria de Turismo e Cultura.

1991: Homenageada pelo Presidente do Governo Regional da Madeira.

1995: Gravação do CD-Áudio a solo (Nº1 – Maria Ascensão Teixeira (Camacha) – Recolhas Xarabanda.


22 visualizações