top of page
Buscar
  • Foto do escritorHenrique Correia

Luís Nuno Olim entre os candidatos a chefe de gabinete de Albuquerque



Miguel Albuquerque está no Porto Santo a preparar o Governo e já pediu o adiamento por um dia para apresentar o Executivo ao Representante da República.



Luis Nuno Olim parece ganhar vantagem entre os candidatos a chefe de gabinete de Albuquerque.

O presidente do Governo Regional indigitado está no Porto Santo a preparar a composição do XV Executivo, pela primeira minoritário no Parlamento da Madeira. Miguel Albuquerque prepara os nomes e as pastas para entregar ao Representante da República, mas já decidiu pedir a Ireneu Barreto para adiar a audiência de segunda para terça-feira. Quer ganhar mais um dia para chegar ao Palácio com o Governo feito e para preparar a estratégia que vai centrar a ação governativa na Assembleia.

Albuquerque não tem uma missão fácil e desta vez não chega o acordo que fez com o CDS e que apenas lhe permite ganhar dois deputados e juntar aos seus 19. O líder social democrata acabou por ceder a presidência da Assembleia ao CDS, como sucedeu em 2019, mas agora os centristas conseguem o mesmo objetivo, a candidatura de José Manuel Rodrigues para a presidência da Assembleia, mas com menos peso do que tinham há cinco anos.

O Porto Santo acolhe o presidente nesta reflexão governativa e estranhamente ainda não houve as habituais fugas de informação nos jornais, o que não significa que não venham a sair mais próximo da audiência.

Mas se relativamente a secretários ainda está tudo muito "secreto", são várias as "fontes" que apontam um nome, Nuno Olim, como estando bem colocado para figurar entre as preferências de Albuquerque para seu chefe de gabinete, um cargo que como se sabe era ocupado por Medeiros Gaspar, que decidiu apresentar demissão a poucas semanas das eleições, sendo que o argumento para essa decisão, dizem, prendia-se com o facto de não ir na lista de deputados, o que para alguns sectores do partido é um argumento que colhe pouco e acham que há algo mais concreto para esta atitude limite.

Não há nada de concreto neste momento, mas o nome está em cima da mesa, o que nem constitui grande surpresa uma vez que Luís Nuno Olim, que era chefe de gabinete de Pedro Calado na Câmara do Funchal, e agora segue com Cristina Pedra, já esteve na Quinta Vigia como chefe de gabinete de Jardim e foi ainda chefe de gabinete de Pedro Calado quando este era vice presidente do Governo. No passado, era um dos "homens" do gabinete de Cunha e Silva, quando este era vice presidente de Jardim.

As mesmas "fontes" admitem que Albuquerque esteja a ponderar outras opções, mas adiantam que Luís Nuno Olim tem uma vasta experiência no cargo e que além disso já tinha admitido outras oportunidades que vão além da Autarquia.

121 visualizações

Commentaires


bottom of page