Buscar
  • Henrique Correia

Madeira com 205 casos positivos no espaço de um mês prefere prevenir do que remediar

Dos 160 casos ativos, 135 correspondem a não residentes e 35 a residentes. Os números nacionais voltaram a "disparar" hoje com 33 mortos e mais 4224 novos infetados


A Madeira tem andado à frente das medidas de prevenção mas nem por isso deve baixar a guarda das medidas tendentes a minimizar os efeitos daquela que já é admitida como segunda vaga e que, em termos internacionais, já levou vários países a novos confinamentos, casos de França e Alemanha. O problema é grave e, por isso mesmo, é preciso atuar a tempo cultivando o princípio do "mais vale prevenir do que remediar".

Na Madeira, os números também têm subido. Outubro está a ser "negro" no número de infetados, embora o quadro epidemiológico continue perfeitamente controlado, felizmente sem qualquer vítima mortal, caso único entre as regiões do País. Mas mesmo assim, em casos positivos, no espaço de um mês, ou seja entre 29 de setembro e 29 de outubro, registaram-se mais 205 casos, a grande maioria importados, fruto de um maior fluxo de chegadas de turistas, mas também fruto da onda de infeções que assola a Europa e que se reflete, particularmente, nos destinos turísticos.

Hoje, pelas 17 horas, Miguel Albuquerque promove uma conferência de imprensa para dar a conhecer algumas medidas, acertadas com o quadro que a Região apresenta, mas sem descomprimir relativamente às consequências que um eventual relaxamente pode acarretar. E o desporto estava, muito especificamente, na mira do Governo, com o presidente a assumir, praticamente, a intenção, não dita objetivamente, de impedir as deslocações das equipas madeirenses do chamado desporto não profissional, este fim de semana ao con tinente. Não será necessário, exatamente, aplicar essa decisão apenas à Madeira, uma vez que o próprio Governo da República já terá manifestado essa intenção e, inclusive, algumas federações já fizeram chegar, às respetivas associações, esse cancelamento de jogos, em dias que já estavam designados como de impedimento de descolação entre concelhos.

Neste momento, quando estamos a pouco mais de uma hora da declaração de Miguel Albuquerque, recordemos o quadro sobre o qual o presidente do Governo vai decidir, em articulação com as autoridades de saúde e tendo em conta os números nacionais, que hoje voltaram a "disparar" com 33 mortos e mais 4224 novos infetados, uma barreira que não pode ser ignorada em termos de novas medidas.

Neste momento, de acordo com o último boletim do IASAÚDE, são 160 os casos ativos, 148 são importados identificados no contexto das atividades de vigilância implementadas no Aeroporto da Madeira e 12 são casos de transmissão local. São 135 não-residentes e 25 são residentes na Região. Estão 79 pessoas em isolamento numa unidade hoteleira

dedicada, 79 em alojamento próprio e 2 pessoas encontram-se agora internada na Unidade Polivalente dedicada à Covid-19.



47 visualizações