Buscar
  • Henrique Correia

Madeira não vai aplicar o recolher obrigatório no fim do ano no continente


Se for necessário, as medidas serão agravadas», garante Miguel Albuquerque


O presidente do Governo Regional diz que, para já, não há necessidade de aplicar na Região o recolher obrigatório decretado pelo primeiro-ministro, António Costa, para o Continente, entre 31 de dezembro e 3 de janeiro.

O diploma remete, recorde-se, para as Regiões Autónomas a decisão de aplicar ou não as medidas nacionais, como refere uma publicação nocsute do Governo.

Miguel Albuquerque, que falava à margem de uma visita realizada hoje à emprega “Requejema”, em Gaula, sublinhou que na Madeira, para já, não há transmissão comunitária e que estão perfeitamente identificadas as 40 cadeias de transmissão da COVID-19 que estão a ser controladas.

O governante salienta assim que serão mantidas as medidas até agora anunciadas pelo Governo Regional, embora admita que as mesmas possam vir a ser alteradas, se houver agravamento da pandemia na Região. «Se flor necessário, serão agravadas», garante.

O governante rejeitou ainda a possibilidade de avançar com uma cerca sanitária em Machico, sublinhando que os casos foram devidamente identificados e que a situação está controlada.

A mrsma informação revela que "o líder madeirense confirmou a duplicação de camas destinadas à COVID, mas sublinhou que as atuais instalações estão ainda longe do máximo: «Existem 17 doentes para uma capacidade instalada de 30 camas».

10 visualizações