Buscar
  • Henrique Correia

Madeira no top 10 dos "nómadas digitais" com 9.700 inscrições


Rui Barreto: "Se tivermos em conta que são esperadas cinco mil pessoas por ano, isso representará uma verba na ordem dos 27 a 28 milhões de euros".



O secretário regional da Economia participou, em Lisboa, no encontro Portugal Smart Cities Summit 2021, onde teve oportunidade de apresentar o projeto pioneiro na Região a incidir sobre os nómadas digitais, que colocou a Madeira entre os dez principais destinos para teletrabalho.

Rui Barreto diz que o facto de a Região estar no “Top 10” dos destinos preferidos dos nómadas digitais, vem comprovar o sucesso deste projeto levado a cabo pelo Governo Regional através da Startup Madeira.

Desde que o projeto foi implementado, Rui Barreto revela, como informa uma comunicação da secretaria “já passaram pela Região mais de 3.500 nómadas digitais, com uma lista de interessados que ascende já a 9.700 inscrições”. Os números, tal como afirmou, revelam a boa execução do projeto, cujo sucesso fica também a dever-se “à estratégia que desenvolvemos, do acolhimento que proporcionamos, das infraestruturas que concretizámos, com a internet com sinal melhorado, com o ambiente ‘cowork’ que foi ali instalado”.

A mesma nota refere que o governante "acrescentou que além dos nómadas digitais que têm aderido, o projeto também é bem aceite pela população, dado o seu impacto relevante na economia. De acordo com um inquérito realizado, cada um dos nómadas digitais consome, em média, mensalmente, cerca de 1.800 euros. Feitas as contas, Rui Barreto diz que, se tivermos em conta que são esperadas cinco mil pessoas por ano, isso representará uma verba na ordem dos 27 a 28 milhões de euros".

Rui Barreto disse ainda que “a Região vai continuar a investir nas infraestruturas para que a Madeira seja, de facto, um ecossistema de excelência à escala nacional, europeia e mundial, e continue a ser um local de preferência para os que queiram trabalhar a partir da Madeira”


6 visualizações