Buscar
  • Henrique Correia

Madeira preparada para defender a floresta com faixas corta-fogo


POCIF no terreno com helicóptero e equipas multidisciplinares.





"Os fogos florestais são sempre imprevisíveis e, por exemplo, o último grande fogo florestal na Madeira ocorreu em fevereiro, na Ponta do Pargo", lembrou o presidente do Governo Regional durante uma visita que fez, nesta tarde de quarta-feira, ao Caminho dos Pretos, onde decorrem trabalhos de intervenção ao nível da regeneração florestal, da criação de uma rede hídrica de combate aos fogos e de implantação de uma faixa corta-fogo, trabalhos que ultrapassam, globalmente, os 2,5 milhões de euros.

"Esta é uma intervenção que estamos a fazer em três frentes. A primeira engloba uma regeneração florestal numa área de 32 hectares, que estava repleta de eucaliptos e acácias e que era pasto de chamas todos os anos. Essas plantas foram cortadas, abrimos caminhos florestais e a mesma está, agora, a ser regenerada com plantas, parte delas endémicas e outras que não o sendo têm caraterísticas de não terem grande capacidade de combustão", refere-se numa nota publicada pelo Governo nas plataformas digitais.

Outra área de intervenção é a da criação de uma rede hídrica de combate a incêndios, com nove quilómetros e que abrange todo o Caminho dos Pretos até ao Palheiro Ferreiro, incluindo um reservatório com mil e quinhentos litros de água".

Miguel Albuquerque sublinhou, aponta a mesma informação, que "todos estes trabalhos a somar a várias intervenções do género em toda a Madeira vão prosseguir.

Por outro lado, lembra que o POCIF "está no terreno e que temos um helicóptero preparado e a funcionar, bem como foram criadas equipas multidisciplinares".

5 visualizações