top of page
Buscar
  • Foto do escritorHenrique Correia

Madeira vai insistir nos limites dos ventos e no subsídio de mobilidade




O Governo pretende, também, "acompanhar o processo inerente ao Concurso Internacional Público para prestação de serviços aéreos sujeitos a obrigações de serviço público na rota Madeira-Porto Santo-Madeira.



O Governo Regional vai "cooperar e acompanhar junto das autoridades nacionais competentes o processo inerente aos limites de vento impostos no Aeroporto Internacional da Madeira – Cristiano Ronaldo, por forma a otimizar a operação na infraestrutura

aeroportuária". Esta intenção faz parte do programa do Executivo hoje entregue no Parlamento.

Os planos para o mandato apontam para fomentar e prosseguir com as relações de ligação e cooperação entre as diversas

entidades públicas e privadas, com vista à melhor otimização da operacionalidade do Aeroporto Internacional da Madeira – Cristiano Ronaldo, por forma a conseguir melhorias na sua utilização e eficiência, em concordância com as necessidades impreteríveis.

O novo modelo de subsídio de mobilidade é outro dos assuntos que integram o programa:

"Assegurar a existência de um modelo de Subsídio Social de Mobilidade, que responda às reais necessidades dos residentes e estudantes das ilhas da Madeira e do Porto Santo, garantindo o seu funcionamento de forma articulada e ininterrupta".

A Região quer "consolidar os mercados estratégicos, reforçar os mercados prioritários, fortalecer os mercados de aposta e dinamizar os mercados de diversificação, robustecendo, desta maneira, a economia regional, através da boa captação e inovação de mercados". Pretende, também, "acompanhar o processo inerente ao Concurso Internacional Público para prestação de serviços aéreos sujeitos a obrigações de serviço público na rota

Madeira-Porto Santo-Madeira, assegurando, também, a defesa do interesse da população residente naquele território duplamente insular".

Dar continuidade ao acompanhamento prestado pelo Observatório do Transporte

Aéreo da Região Autónoma da Madeira (OTA-RAM), junto dos cidadãos beneficiários do Subsídio Social de Mobilidade; Operacionalizar os objetivos do OTA-RAM, monitorizando o setor do transporte aéreo a nível regional, nacional e internacional com vista a posicionar e a potenciar as atividades da Região, nos mercados da sua atividade; Defender a continuidade territorial junto do Estado Português, na sua qualidade de garante da salvaguarda deste princípio, assegurando a existência de ligações

aéreas nacionais de forma ininterrupta e em horários diversificados, em cumprimento da igualdade entre as Regiões Autónomas e o território continental".


13 visualizações

Comments


bottom of page