Buscar
  • Duarte Azevedo

Marítimo e o exemplo do Real Madrid


Jogar na Ribeira Brava não seria mais lógico e sensato?


Claro que uma infraestrutura não tem nada a ver com a outra mas na essência a ideia será a mesma: porque não joga o Marítimo no Complexo Desportivo da Madeira, na Ribeira Brava? Explicando. Se o Real Madrid tem feito os seus jogos em ‘casa’, inclusive na Liga dos Campeões, no seu campo de treinos, no Estádio Alfredo Di Stéfano, que serve de residência da sucursal Castilla, devido a obras no Estádio principal, ‘Santiago Barnabéu’, porque é que o Marítimo não aproveita as exigências atuais para resolver a questão do relvado do seu Estádio? Sabe-se que este problema só será ultrapassado com um novo relvado, implicando aqui a remoção total da terra e, sobretudo, um sistema de rega atual – aqui podem residir algumas dúvidas se por ‘meia dúzia’ de tostões não se manterá uma antiga peça de museu… Ora cá está que na essência a situação é a mesma: o Real Madrid está em obras no seu estádio, logo joga no secundário; o Marítimo poderia, e deveria, aproveitar este momento excecional para deixar de ter o pior relvado de todos da I Liga – atenção, claro que mais importante é deixar de ter a equipa pior classificada dessa mesma Liga… Ou será que essa obra de substituição do relvado, imprescindível e que levará alguns meses, será feita quando o público voltar aos jogos? O fator ‘casa’ tem a ver, sobretudo com o apoio dos adeptos e esse, neste momento, não pode existir. As outras questões de pormenor, como ‘conhecer o campo’ ou estar mais habituado a atuar num determinado espaço, não abrangem os futebolistas maritimistas pois não treinam onde jogam. Logo, não há nenhum item que sirva de apoio para os verde-rubros continuarem a jogar nos Barreiros quando o piso do Estádio necessita urgentemente de ser substituído. Certo que se poderá optar por um ‘remendo’ mas esse, como sempre, sairá mais caro que a ‘obra plena’. Sim, até porque a questão financeira não se deve colocar na medida em que as ‘contas controladas’ não devem ser mera questão de propaganda. E um novo relvado até não é uma questão de mero investimento mas, sim, uma necessidade absoluta! Acresce que o Complexo Desportivo da Madeira já recebeu jogos da liga principal, inclusive com transmissões televisivas. E é nesse espaço da Ribeira Brava que o Marítimo realiza atualmente grande parte dos treinos da equipa principal – e não é crível que o contrato de cedência do campo não inclua a possibilidade da realização de jogos. Tudo isto parece lógica e sensato mas, como sabemos, há sempre 'uma razão que a própria razão desconhece'...


15 visualizações

Posts recentes

Ver tudo