Buscar
  • Henrique Correia

Marítimo Sub-23 terminou a época


Equipa teve 3 treinadores e utilizou 61 jogadores


Com a derrota esta terça-feira em Machico, frente ao Braga (2-3), e correspondente eliminação da Taça Revelação, terminou a época para a equipa Sub 23 do Marítimo. Uma temporada com saldo positivo se atendermos, por exemplo, ao apuramento para o 'grupo dos melhores', à frente de Sporting e Benfica, embora aí apenas tenha conquistado uma vitória. Junte-se, também Jefferson Kibe como o Melhor Marcador da prova.

Numa equipa que teve três treinadores (Milton, Ludgero e Bragança), a utilização de 61 (!!!) jogadores parece exagerada, até porque isso significou, porventura, o limitar de oportunidades aos 'jovens da casa', plano inicialmente apontado para os Sub 23 maritimistas. Mesmo assim alguns nomes ficam para o futuro, como o guarda-redes Pedro Teixeira e o médio França.

Outros elementos confirmaram potencial, podendo-se aqui referir como expoente máximo Johson Owusu que, no entanto, não pode mais emprestar o seu contributo à equipa B esta temporada, onde também já alinhou. Isto devido a um regulamento aberrante - os clubes não têm uma palavra a dizer?! - que coloca fora da formação secundária nos últimos seis jogos do ano quem jogou pelo menos um minuto na equipa principal - Owusu fê-lo por 47 minutos. A propósito, e além do Regulamento não defender a promoção do jovem jogador (poderia haver, sim, um limite de jogos na A, eventualmente cinco), também não houve cuidado na preservação por parte do clube dos objetivos do Marítimo B que, e bem, luta pelo acesso à Liga 3. Só que desfalcada para a fase decisiva de alguns elementos que desnecessariamente atuaram alguns minutos na formação principal verde-rubra...

Aliás, poder-se-ia ter verificado outra vez ainda no último sábado, com a convocação de Aloísio Soares para o jogo frente ao Belenenses - fazendo só um treino sob as vistas de Velasquez, foi convocado para preencher o lugar de 'central' no lote de suplentes, mas se houvesse necessidade de atuar, nem que fosse um minuto, não poderia voltar à 'B', onde tem tido um papel muito importante. Seria caso para perguntar: Aloísio era fundamental para a 'A'? Não parece, até porque havia outras soluções. E aqui não está em questão a prioridade que tem de ser dada, obviamente, à Liga NOS. Enfim...

5 visualizações