Buscar
  • Henrique Correia

Marcelo positivo; Saúde Pública de Lisboa considerou desnecessário o isolamento


Depois de contacto com positivo, a Saúde Pública da ARS de Lisboa e Vale do Tejo considerou não ser necessário isolamento profilático e "libertou" Marcelo depois de teste negativo. Só que agora deu positivo



Marcelo fez um teste negativo e a ARS de Lisboa considerou não ser de risco apesar de ser recomendado o isolamento profilático, permitindo a presença no debate.


A Presidência da República informou hoje que Marcelo Rebelo de Sousa "testou negativo ontem, e apesar do teste antigénio de hoje ser negativo, soube-se agora, às 21h40, que o teste PCR deu positivo".

A mesma informação diz que " o Presidente da República, que está assintomático, comunicou ao Presidente da Assembleia da República, ao Primeiro-Ministro e à Ministra da Saúde e, encontrando-se a trabalhar em Belém, aí ficou e ficará em isolamento profilático na zona residencial, aguardando o inquérito epidemiológico.

Cancelou toda a agenda para os próximos dias, a começar com sessão com os peritos no Infarmed e a audição dos Partidos Políticos previstas para amanhã".

Tudo começou com primeiro momento de isolamento profilático de Marcelo, por ter contactado com um elemento da Casa Civil. O Presidente ficou em recolhimento imediato e testou negativo, sendo que a Direção do Departamento de Saúde Pública da ARS de Lisboa e Vale do Tejo comunicou à Presidência da República, que "foi considerado de baixo risco o contacto que o Presidente da República teve, na segunda-feira passada, com um elemento da Casa Civil (que veio a testar positivo ao SARS-CoV-2), pelo que não é necessário isolamento profilático. Na sequência desta decisão da Autoridade de Saúde, o Presidente da República, que já hoje testou negativo, retomou o seu programa de trabalho".

Face a esta posição, Marcelo esteve presente no debate televisivo, com André Ventura, no âmbito da campanha para as presidenciais.

10 visualizações