Buscar
  • Henrique Correia

Miguel Iglesias: "Comércio de cargos e tutelas nas alterações no Governo"


A nova orgânica governativa ainda consegue ter “o ridículo de meter a nova Direção da Rede de Cuidados Continuados sob a tutela das Finanças".


O grupo parlamentar do PS Madeira considera a recente redistribuição de tutelas do Governo Regional um ato feito à pressa, sem qualquer racional ou estratégia e que, mais uma vez coloca a nu as motivações do PSD-CDS que governa a Região: um crescimento orgânico do aparelho governamental por via de nomeações políticas e a subordinação dos interesses dos madeirenses ao comércio de cargos e tutelas entre os dois partidos.

Para o líder da bancada parlamentar do PS Madeira, “o que salta à vista no imediato é que neste comércio de tutelas pensou-se apenas em salvaguardar os egos dos secretários regionais, repartindo-se pastas sem qualquer noção objetiva e pragmática das suas implicações numa orgânica de governação. Veja-se como mais uma vez o fundamental sector da mobilidade é esquartejado em 3 tutelas diferentes”.

Miguel Iglésias demonstra a sua perplexidade perante as decisões tomadas que são de difícil explicação. “É difícil de entender como temos a Secretaria Regional da Educação a tutelar a Justiça, a administração de infraestruturas portuárias, a APRAM, na tutela da Economia, a Empresa de Eletricidades da Madeira nas Infraestruturas. Onde está o racional destas decisões? Simplesmente não se entende.” Para Miguel Iglésias, a nova orgânica governativa ainda consegue ter “o ridículo de meter a nova Direção da Rede de Cuidados Continuados sob a tutela das Finanças, ou seja, por muita boa vontade, que contributo podem dar os técnicos de finanças na gestão da Rede de Cuidados continuados de saúde e terceira idade?”

5 visualizações

Posts recentes

Ver tudo