top of page
Buscar
  • Foto do escritorHenrique Correia

Militantes do PSD entre o sistema e a mudança


Miguel Albuquerque: "Não posso "abdicar daquele mandato que foi conferido pelo povo madeirense".


Manuel António: "É injustificável haver dirigentes que, "mais do que pensar uma solução para a região e o partido, estejam agarrados ao poder".




Manuel António Correia e Miguel Albuquerque vão a votos no PSD Madeira na próxima quinta-feira, 21 de março, um momento que os dois candidatos consideram de clarificação interna. Nisso estão de acordo, como se pode verificar nas entrevistas que concederam à Lusa. No resto, nem por isso, um quer manter o PSD como está, outro quer uma mudança de líderes e de políticas para "refundar" o partido e fazê-lo regressar à confiança.

Para Albuquerque, a confiança está legitimada pelos resultados das eleições

nacionais de 10 de março, mas para Manuel António não é indicador de confiança do eleitorado em Albuquerque, em virtude de ser arguido num processo de investigação sobre suspeitas de corrupção.

"Com certeza que colaborarei sempre com as autoridades no sentido de esclarecer", disse, adiantando que ainda não foi contactado para o efeito.

Apesar do processo judicial, Albuquerque entende não poder "abdicar daquele mandato que foi conferido pelo povo madeirense", porque não está condenado, e diz não se sentir fragilizado, por ter um trabalho no arquipélago "reconhecido por toda a gente", refere a notícia Lusa com reprodução no Expresso.

"E não há ninguém nesta terra - e todos nós nos conhecemos - que possa acusar-me de qualquer conduta ilícita", reforçou uma ideia que vem construindo nos últimos dias.

Já no entender de Manuel António Correia

"é injustificável haver dirigentes que, "mais do que pensar uma solução para a região e o partido, estejam agarrados ao poder".

A sua candidatura, garantiu, "nunca será um problema: será, sim, a solução" e está vocacionada para o futuro, refere a notícia.

"Não vou olhar para o retrovisor. Vou gerir pelo espelho mais largo que exista de forma transparente, com maior luz, criando alegria e esperança, que nos têm faltado na região e no partido", afirmou.

A votação terá lugar a 21 de março entre as 17.30 e as 20.30 horas, nas Sedes Concelhias e de Freguesia a funcionar nos diferentes concelhos da Região,











65 visualizações

Commentaires


bottom of page