top of page
Buscar
  • Foto do escritorHenrique Correia

Morte de comando madeirense: instrutor e médico com prisão efetiva



O acórdão refere que o médico ignorou todos os sintomas e o instrutor privou os instruendos de beberem água. O madeirense Hugo Abreu chegou mesmo a colocar terra na boca quando estava a prestar assistência.





Foto DIÁRIO


O Tribunal da Relação de Lisboa alterou a sentença anterior e ordenou a prisão efetiva para o instrutor e o médico do curso de instrução de comandos, em 2016, considerando-os responsáveis pela morte de dois recrutas, um deles o madeirense Hugo Abreu.

A 4 de setembro de de 2016, em Alcochete, num dia de altas temperaturas, Dylan Silva e Hugo Abreu, de 20 anos de idade, sofreram várias lesões e acabaram por morrer. O processo foi a julgamento e alvo de recurso para a Relação, que agora reverteu a decisão anterior de penas suspensas para prisão efetiva do instrutor Ricardo Rodrigues, que estava condenado a 3 anos com pena suspensa, passa a prisão efetiva de 5 anos e 3 meses, sendo que o médico Miguel Domingues, que tinha sido absolvido de todos os crimes, foi agora condenado a 7 anos e meio de cadeia.

O acórdão refere que o médico ignorou todos os sintomas e o instrutor privou os instruendos de beberem água. O madeirense chegou mesmo a colocar terra na boca quando estava a prestar assistência, refere uma notícia da CMTV.


22 visualizações

Comments


bottom of page