Buscar
  • Henrique Correia

Neta de Jardim inspira avô para um livro que pretende "Intervir"


"Ao sermos interventivos, com ou sem percepção estamos simultâneamente a agir contra as barreiras limitativas de um dado tempo".






Maria Inês é personagem principal do livro que Alberto João Jardim lançou hoje em Câmara de Lobos. Maria Inês é o nome da neta de Jardim e o avô, ex-presidente do Governo Regional, explicou na apresentação da "Senhora e a Ilha" que deu o nome da "neta mais nova porque aposto nas gerações Madeirenses que aí vêm, e nas que depois ainda virão, procurei que este livro deixe algo no tempo, que ajude a ganhar o futuro".

Numa plateia com Miguel Albuquerque a assistir, Jardim deixa o propósito desta obra: "Porquê este acto de INTERVIR, que “A Senhora e a Ilha” pretende ser?…

Porque intervir é Liberdade. É cada um de nós decidir, no uso da autonomia individual que marca a nossa independência inabdicável, enquadrados nos Valores a que voluntária e conscientemente aderimos.

Desta forma, intervir é também um acto de solidariedade para com as Comunidades onde nos integramos, quando com o nosso intervir estamos convictos e apontados a, assim, contribuir para o Bem Comum.

Ao sermos interventivos, com ou sem percepção estamos simultâneamente a agir contra as barreiras limitativas de um dado tempo, entendido TEMPO como “uma duração sucessiva de qualquer fenómeno”.

Quem intervém no domínio dos Princípios, dos Valores, das Ideias e das Convicções - no âmbito do geral e não de um concreto finito no tempo - quem intervém em tais domínios, procura colocá-los sob a Esperança da maior intemporalidade possível".

À margem da cerimónia, que decorreu no Museu de Imprensa, em Câmara de Lobos, Miguel Albuquerque fez questão de enaltecer a importância da obra para a discussão do futuro da Região.

O livro chega amanhã às livrarias e é editado pela Casa das Letras.

“A Senhora e a Ilha” é o segundo romance de Alberto João Jardim, depois de “Diz Não!”, história de “um grupo de jovens madeirenses com as suas origens, percursos e destinos variados”, publicado em 2018. Antes, em 2017, já tinha publicado “Relatório de Combate”, uma obra autobiográfica.

9 visualizações