Buscar
  • Duarte Azevedo

O problema de (ausência de) público nos treinos e jogos



Saúde pública quiçá mais afetada com os recintos fechados


É uma situação que pode originar alguns problemas, neste tempo de covid-19, mesmo sem competição: o público no futebol. E aqui trazemos a questão do futebol por ser a modalidade mais significativa embora outros desportos possam se deparar com situação idêntica. Aliás, em recentes Madeira SAD-CS Madeira, andebol, o número de assistentes, era assinalável. Isto dando de barato que o todo que estava no Pavilhão do Funchal não ultrapassava o número definido pelas entidades mas, certamente, não reunia outros requisitos - x número de dirigentes, y número de jornalistas... Voltando ao futebol, e ainda sem competição, só com o regresso aos treinos, é natural que nalgumas situações - leia-se clubes/campos - o aglomerado gerado junto dos recintos seja em número considerável. Constate-se o exemplo de um treino de um escalão (mais) jovem, com os pais a levarem os filhos ao treino e não poderem estar no recinto - o que, admite-se, na maioria dos casos é vantajoso para treinadores e para os próprios atletas... Mas, numa situação de saúde pública, se calhar seria mais benéfico abrir as portas dos campos, permitindo o acesso às bancadas. Nos treinos e nos jogos. até porque em alguns escalões não é obrigatória a presença de forças de segurança. Só que essa não é uma possibilidade encarada pela Direção Geral de Saúde...


1 visualização

Posts recentes

Ver tudo