Buscar
  • Henrique Correia

Orçamento do Funchal "sem visão de futuro", justifica o CDS o voto contra



CDS votou contra e considera que este é um Orçamento sem visão de futuro para a cidade do Funchal.



O CDS explica o voto contra o Orçamento da Câmara do Funchal com "a falta de visão de futuro". Enumera várias propostas aprovadas e nunca passadas à execução por parte da Coligação Confiança, entre elas a Criação de uma “tarifa social” na prestação dos serviços de águas aos bombeiros dos quadros das corporações com sede no concelho do Funchal”

Carla Batista diz que o CDS não está na política "para dividir o eleitorado, nem tão pouco enfraquecer a construção de uma alternativa ao socialismo, mas o provável declínio do apoio daqueles que acreditaram numa Mudança, nesta coligação que governa (sob a batuta do governo socialista de Lisboa), e que é maioria nesta Câmara, não podemos deixar de reclamar a execução de medidas que foram aprovadas, que não passaram do papel, e que fariam muita diferença na vida daqueles que vivem, estudam e trabalham na nossa cidade.

Muito embora possamos "amar esta nobre e leal cidade", e se empenhar "de alma e coração" na construção deste Funchal que espera e desespera por medidas que continuam sem uma visão de futuro. Não é, portanto de admirar que o próprio Presidente da Câmara admita, logo no início da sua apresentação, que este será de novo, cito "um orçamento orfão".


3 visualizações