Buscar
  • Henrique Correia

Ordem dos Médicos alerta para "risco de rutura" de assistência em todas as áreas

"Dado o risco de sobrecarga, e possível rutura do SNS, devem ser salvaguardados, de imediato, os interesses assistenciais de toda a população através da articulação e ativação em tempo útil com o sector social e privado"



No dia em que Portugal registou o recorde de 3669 casos de infeções diárias, a Ordem dos Médicos veio a público mostrar as suas preocupaçoes sobre o momento em que o País "vive o momento de maior pressão sobre o SNS com risco de rutura e de graves consequências assistenciais em todas as aéreas para a população residente em território nacional", como diz a OM.

A Ordem refere ser "urgente uma efetiva gestão coordenada e centralizada a nível regional e nacional das camas de internamento para doentes com Covid-19, com envolvimento do INEM, ANEPC e Forças Armadas. É imperioso libertar profissionais de saúde para atividades mais diferenciadas, nomeadamente para a atividade assistencial não-Covid, através da contratação e gestão coordenada de recursos humanos".

Segundo a nota publicada pela OM "dado o risco de sobrecarga, e possível rutura do SNS, devem ser salvaguardados, de imediato, os interesses assistenciais de toda a população através da articulação e ativação em tempo útil com o sector social e privado. Permitir que se chegue a uma fase de emergência fragiliza o Estado e prejudica a população".

3 visualizações