Buscar
  • henriquecorreia196

Orgânica do Governo abre "guerra" pela tutela da Empresa de Eletricidade


Alguns secretários começaram já a esboçar algum interesse em fazer parte dessa reestruturação da orgânica de Governo.



A saída do vice presidente do Governo Regional para assumir os compromissos resultantes da candidatura à Câmara do Funchal, pela coligação PSD/CDS, abre novos caminhos e novas "dores de cabeça" a Miguel Albuquerque, até porque os poderes e as áreas tuteladas indiscutivelmente por Pedro Calado, não garantem a mesma pacificação se forem exatamente transferidas para o novo secretário das Finanças, que não pode ficar com um estatuto que não tem, se comparado com Calado. Como de resto não tem qualquer outro secretário, sendo que a intenção do líder poderá ser uma distribuição de áreas por outras secretarias.

Conscientes desta nova realidade, alguns secretários começaram já a esboçar algum interesse em fazer parte dessa reestruturação da orgânica de Governo, disponíveis na assunção de outras responsabilidades.

Sabe-se, por exemplo, que tanto Rui Barreto, que tutela a Economia, como Eduardo Jesus, que tutela o Turismo e Cultura, estariam na disponibilidade de assumir a tutela da Empresa de Eletricidade, uma área que estava sob responsabilidade da vice presidência e que assume uma relevância acrescida na governação. Digamos que é uma tutela apetecível.

Acontece que Miguel Albuquerque até pode deixar a EEM com Rogério Gouveia, uma vez que a não ser assim, faria mais sentido que ficasse na alçada da Economia do que propriamente no Turismo. O problema seria outro, Rui Barreto, do CDS, ficaria com um poder que não interessa ao seu parceiro de coligação, o PSD. Daí haver uma certa indefinição relativamente a este processo, que deverá ser conhecido muito em breve.

43 visualizações