Buscar
  • Henrique Correia

Página "atacada": "Não descansarei enquanto não se conhecerem os culpados"



Filipe Sousa reage depois de novo "ataque" à página do de Santa Cruz e diz que "silenciar uma instituição está no mais baixo que se pode fazer, mas foi feito"



O presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz veio hihe revelar que a página do Facebook foi de novo "atacada". Ao domingo, dia em que Filipe Sousa publica um espaço a que deu o título de "Ponto de Ordem", que por esse facto foi enviado para a comunicação social.

O autarca diz que "silenciar uma instituição está no mais baixo que se pode fazer, mas foi feito e não descansarei enquanto não se conhecerem os culpados. Até porque os que assim agiram nem se dão conta do quanto prejudicam a população, nomeadamente na informação necessária sobre serviços, obras a decorrer, condicionamentos de trânsito. No entanto, não será esta circunstância que me impedirá de falar e de informar os que me elegeram".

Filipe Sousa afirma querer denunciar "um outro método que tem sido posto em prática pelos mesmos dos ataques aos canais de informação oficiais do Município. Essa mesma gentinha dos métodos antidemocráticos, quer agora criar a ideia de que o trabalho social de uma câmara não é necessário, ignorando as centenas de pessoas que precisam de ajuda imediata, nomeadamente num cenário de pandemia. Famílias que são vítimas das políticas dessa gente que pensa que faz tudo certo, mas cujo modelo de desenvolvimento implementado em mais de 30 anos de poder absoluto criou margens e marginalizados, foi incapaz de criar uma sociedade inclusiva para todos, foi inábil na gestão das potencialidades criadas pelo tempo das vacas gordas. Essa gente que tem falhado sucessivamente na economia, no social, na saúde, na mobilidade, mas que enche o peito para dizer que em Santa Cruz faria melhor no emprego, no social, no desenvolvimento, quando têm falhado todas essas áreas que são sua competência no Governo Regional".

O líder da Autarquia fala no "ego de certos políticos que apresentam e gastam milhões na criação de uma nova logo-marca ilegível e excessivamente colorida para os tempos sombrios que se vivem. E depois ainda têm a distinta lata de criticar quem faz. E até de criar a ideia de que só se faz isso do social que querem agora ascender a categoria de pecado. Não, não se faz apenas isso. Estamos a lançar também obras imprescindíveis".

Filipe Sousa não poupa a anterior gestão social democrata, bem como a gestão governativa regional, do PSD e do CDS, sem falar dos nomes, quer de um quer de outro. Diz mais: "Estamos a fazer muito mais, enquanto essa gente anda a colorir o nome da Madeira, a brincar com as redes sociais e, de caminho, a criar realidades alternativas para os seus pecados ainda recentes na memória do povo, e para a sua incapacidade que querem disfarçar de qualidades que verdadeiramente não possuem".

Filipe Sousa termina assim: "Sei que dói ouvir estas verdades, sei que dói o trabalho social que sempre foram incapazes de fazer neste concelho, sei que dói as obras em curso. Paciência, as vossas dores dizem-me muito pouco. Já as dores de quem passa dificuldades calam-me fundo e tocam-me ainda mais fundo".

10 visualizações