Buscar
  • Henrique Correia

Paulo Cafôfo quer República e Região a dar uma palavra à comunidade na África do Sul


Detenção do antigo presidente sul africano Jscob Zuma desencadeou uma onda de violência. Há madeirenses afetados.


O PS Madeira emitiu hoje uma nota sobre a onda de violência na África do Sul depois da detenção do anterior presidente Jackb Zuma.

Diz o líder socialista Paulo Cafôfo que "na sequência da onda de violentos protestos de apoio ao ex-presidente Jacob Zuma que se está a registar em Joanesburgo e que já destruíram vários negócios de madeirenses, exige-se uma rápida intervenção diplomática, não só do Governo da República, como do Governo Regional. Paulo Cafôfo lamenta que até ao momento o Governo Regional não tenha sequer dirigido uma palavra de solidariedade à comunidade madeirense que vive na África do Sul"

“Em primeiro lugar, gostaria de enviar uma palavra de coragem e de solidariedade para tantos nossos conterrâneos, que vivem momentos de angústia, de aflição e de incerteza. O PS-M está atento ao que se está passar e vai exercer a sua influência para que sejam desencadeadas diligências que coloquem pressão diplomática junto do Governo da África do Sul para que a situação vivida no país seja minimizada e estancada, com o restabelecimento da segurança pública.”, afirma o presidente do PS-M, Paulo Cafôfo.

Para Paulo Cafôfo, não cabe apenas ao Governo da República, através do Ministério dos Negócios Estrangeiros, dar uma resposta e apoiar a comunidade madeirense radicada na África do Sul. “O Governo Regional tem de atuar, não só através da Direção Regional das Comunidades e Cooperação Externa, que existe para cuidar das nossas comunidades quando precisam de apoio, mas também ao nível da Presidência do Governo. Miguel Albuquerque ainda nada disse nem nada fez em prol dos madeirenses que estão a precisar de ajuda neste momento. Não é admissível esta postura silenciosa e de braços cruzados. É preciso agir, de forma rápida e assertiva”, insta Paulo Cafôfo.

3 visualizações