Buscar
  • Henrique Correia

"Porto Moniz não atrai investimento há 8 anos, não cria trabalho, não fixa jovens"


Albuquerque pede que se olhe "para os concelhos que são geridos pelo PSD e que atraem investimento, criam emprego e riqueza”, ao contrário daqueles que são governados pelo PS





“Temos hoje e há oito anos um concelho que não atrai investimento, que não cria postos de trabalho, que não fixa os mais jovens e que não tem visão estratégica de futuro e são os mais jovens que sabem, acima de tudo, o quanto é preciso mudar". Foi assim, desta forma, que Miguel Albuquerque arrasou o concelho socialista do Porto Moniz, um dos problemas autárquicos para a estrutura social democrata madeirense, que ali se candidata em coligação com o CDS. Por isso, o líder quis estar presente para falar sobre um concelho a que o PSD se candidata com o discurso da renovação de quadros. Essa renovação é personificada por Raimundo Silva, também com a aprovação do líder centrista Rui Barreto, que trouxe ao discurso duas opções para os eleitires: "O voto no candidato que apenas pensa nas próximas Eleições ou o voto no candidato que pensa nas próximas gerações"

Albuquerque pede que se olhe "para os concelhos que são geridos pelo PSD e que atraem investimento, criam emprego e riqueza”, ao contrário daqueles que são governados pelo PS e em que, tal como no Porto Moniz, não existe uma marca, uma obra ou uma estratégia especificamente virada e positiva para a população.

“Este é um projeto alternativo à estagnação”, reforçou Miguel Albuquerque, deixando claro que, ao contrário do que muitos apregoam, não há eleições ganhas à partida e que a eleição do Raimundo Silva para liderar a gestão municipal do Porto Moniz tem de ser pensada enquanto contributo para o bem do futuro da Autonomia, do desenvolvimento e do crescimento integral e sustentável deste Município e da Região e é uma forma de garantir que sabemos o caminho a seguir para garantirmos a defesa dos nossos direitos e interesses, enquanto Madeirenses.

Ru Barreto diz que este é o “candidato que une e não divide, alguém que é trabalhador, determinado, conhecedor da realidade, jovem, que tem uma enorme sensibilidade social e está neste projeto de coração e com coração para ajudar esta terra”, vincou o Líder do CDS, deixando claro que, já hoje, o candidato à Presidência da Autarquia representa a esperança do Porto Moniz para o futuro, evidenciada nos muitos jovens que fizeram questão de assistir a esta apresentação".

Assumindo a proximidade à população como uma das suas grandes bandeiras, o candidato à Presidência da Câmara Municipal, Raimundo Silva, defende uma gestão municipal mais centrada nas pessoas e muito mais atuante no que respeita às freguesias, criticando aqueles que assumiram o poder no concelho e se acomodaram sem lhe acrescentar qualquer valor ou lutar por melhores soluções.

Defendendo políticas municipais viradas para a cultura, para a educação, para o emprego, para o desporto, para a juventude, para o envelhecimento ativo, para a ação social, para a habitação, para a saúde e para o ambiente, entre muitas outras áreas em que se propõe a intervir “com propostas sérias, concretas e positivas para todos”, o candidato entende que é tempo “de trabalhar por muito mais para o Porto Moniz, um concelho que deve olhar e cuidar dos seus idosos, sabendo preparar, ao mesmo tempo, caminho e futuro para as novas gerações”, refere-se numa nota da candidatura.


5 visualizações