Buscar
  • Henrique Correia

Posição da DGS sobre a Festa do Avante "será técnica e não política"

A Festa do Avante realiza-se a 4, 5 e 6 de setembro na Quinta da Atalaia. Prevê-se a presença de 100 mil pessoas. Coisa pouca para dar trabalho à DGS e para manter incoerências


e houvesse coerência era tudo mais fácil. Mas não há. Futebol sem público, nada de ajuntamentos mas ralis na estrada. Campo pequeno com público para tourada. Festa do Avante com rigor e cumprimento de regras. Que regras com 100 mil pessoas? A este propósito, o secretário de Estado da Saúde afirmou que qualquer decisão das autoridades de saúde sobre a festa do “Avante” será apenas técnica. 

“A DGS não toma decisões políticas, toma decisões técnicas”, declarou António Lacerda Sales, declarando que começaram hoje reuniões de “caráter exclusivamente técnico” entre a autoridade de saúde e o partido sobre a realização da festa que marca tradicionalmente o regresso à atividade política dos comunistas depois do verão.   

Haverá “garantidamente um pressuposto: o cumprimento das regras sanitárias e das diretrizes da autoridade de saúde” em relação à pandemia da covid-19, evidenciou o governante. 

António Lacerda Sales disse que há várias “questões que ainda não se conhecem” sobre a festa, como “circuitos, acessibilidades, número de participantes” mas considerou que haverá “colaboração e disponibilidade” do PCP para o “trabalho técnico exaustivo e progressivo” necessário. 

Vamos aguardar para ver o que sai dali.

0 visualização