Buscar
  • Henrique Correia

Promotor e CMF dizem que está tudo legal na construção junto ao Miradouro Vila Guida


"A autarquia condicionou aprovação do projeto ao cumprimento da disposição de salvaguarda e proteção dos Sistemas de Vistas, impedindo que este pudesse assumir três pisos".



Imagens Facebook empresa Francisco Costa & Filhos




"O Gabinete de Apoio à Presidência da CMF esclarece que o projeto em causa se encontra aprovado pela autarquia, de acordo com as disposições legais em vigor, garantindo que, "após a construção total do edifício, a vista do miradouro não ficará comprometida, cumprindo desta forma aquilo que está salvaguardado no PDMF".

Este esclarecimento foi dado pela Autarquia à publicação Polígrafo, a propósito da construção que tem vindo a ser criticada no Miradouro Vila Guida. A Câmara acrescenta que "o projeto aprovado para o local em causa prevê dois pisos e uma cave, sendo a cave semienterrada, uma vez que a autarquia "condicionou a aprovação do projeto ao cumprimento da disposição de salvaguarda e proteção dos Sistemas de Vistas, impedindo que este pudesse assumir três pisos".

Já o promotor da obra, Francisco Costa, também ao Polígrafo, garante que "as casas em processo de construção têm dois pisos e que as fotografias que circulam nas redes sociais são atuais e ilustram a cota definitiva da construção. "A nossa cota de construção cumpre com folga as medidas permitidas relativamente à cota de soleira do miradouro".

Recorde-se que em junho, o administrador da empresa promotora tinha publicado uma nota no Facebook da empresa Francisco Costa & Filhos, reagindo às críticas nas redes sociais no sentido que o empreendimento tapava as vistas do Miradouro:

"Uma vez que continuam os posts, partilhas e comentários sobre uma situação que não corresponde à realidade, para quem quiser ser esclarecido, anexo a verdade sobre o projecto em construção contiguo ao Miradouro.

Miradouro esse que está entregue aos indigentes, toxicodependentes e em avançado estado de degradação.

Essa deveria ser a verdadeira razão de preocupação.

Mas essa razão é sentida por quem frequenta o espaço e não por quem a usa para deturpar em seu favor".



4 visualizações