Buscar
  • Henrique Correia

Região avalia retoma dos 11º e 12º anos depois da Páscoa com vacinação maciça


Miguel Albuquerque garante que não haverá alívio de medidas para o Porto Santo na Páscoa


Bombeiros receberam hoje novos equipamentos


Os décimo primeiro e décimo segundo anos, na Madeira, deverão retomar as aulas presenciais depois da Páscoa. São anos de exame e as entidades regionais mostram alguma preocupação para viabilizar o terceiro período já na escola. A decisão será avaliada hoje à tarde, onde também haverá contactos com Lisboa para uma articulação com o coordenador do plano nacional de vacinação.

O presidente do Governo Regional diz que essa retoma dos anos de exame é importante, mas deve ser acompanhada por uma vacinação maciça de professores e auxiliares, o que será alvo de avaliação atendendo a um novo enquadramento que se abriu com a suspensão da vacina da AstraZeneca. "Queremos recomeçar as aulas presenciais dos 11º e 12º anos, mas é preciso reavaliar a disponibilização de vacinas, uma vez que estamos a manter a vacinação normal de acordo com as prioridades e a suspensão da AstraZeneca provoca a necessidade de algum reajustamento".

Miguel Albuquerque falava no âmbito da cerimónia de entrega de equipamentos aos bombeiros, designadamente um posto de comando portátil, uma tenda operacional de 3x3 metros para apoio ao Comando de Operações de Socorro e uma Regis 500 e respetivas fichas para controlo de entradas em operações de incêndio urbano/industrial.

Relativamente a eventuais medidas de abrandamento nas restrições em vigor na Madeira, o presidente do Governo garantiu a intenção de não proceder a grandes alterações e prometeu que não haverá alívio de medidas para o Porto Santo no período da Páscoa, um período tradicionalmente de grande afluência de visitantes à ilha dourada. "Queremos que as pessoas cumpram com as medidas, evitem convívios e mantenham a distância".

Na cerimónia de hoje, Miguel Albuquerque mostrou-se muito agradado por verificar que os novos equipamentos, a serem entregues a todas as corporações de bombeiros da Região, permitirão um acesso imediato e facilitado, graficamente, aos quadros de meios disponíveis, humanos e de equipamentos e viaturas, para que a estrutura de comando possa ter uma melhor definição global.

A Região lançou um concurso público internacional para aquisição de fatos e de botas especiais para o combate a incêndios urbanos.


4 visualizações