Buscar
  • Henrique Correia

Residentes e turistas vão poder fazer testes rápidos em serviços associados da ACIF


O objetivo é salvaguardar a possibilidade de testagem aos turistas durante a estadia na Região e viajantes que embarquem no Porto do Funchal com destino à Ilha do Porto Santo, ou vice-versa.




O secretário Regional de Saúde e Proteção Civil, Pedro Ramos, vai presidir, esta sexta-feira, à cerimónia de assinatura do contrato-programa a celebrar entre o Instituto de Administração da Saúde e a Associação Comercial e Industrial do Funchal (ACIF) com vista à realização de testes rápidos de antigénio (TRAg) pelos seus associados (Serviços Privados de Saúde).

Este protocolo surge na sequência da decisão do Governo de determinar, já a partir de 21 de junho, a obrigatoriedade dos viajantes que desembarquem no Aeroporto do Porto Santo, em voo com origem no Aeroporto da Madeira, ou vice-versa serem portadores de teste TRAg, bem como os viajantes que embarquem no Porto do Funchal com destino à Ilha do

Porto Santo, ou vice-versa.

Esta decisão de acordo com a ACIF tem em consideração, ainda, que nos termos da mesma Resolução o teste TRAg, poderá ser realizado nas farmácias, laboratórios, clínicas e postos aderentes à campanha de testagem massiva do Governo Regional, não comportando quaisquer encargos para os viajantes, havendo que salvaguardar a possibilidade de testagem aos viajantes que embarquem no Porto do Funchal com destino à Ilha do Porto Santo, ou vice-versa.

O acordo a assinar sexta-feira incide na cooperação financeira entre as partes outorgantes para a promoção e coordenação de testagem por testes rápidos de antigénio (TRAg), para a SARS-CoV-2, aos cidadãos residentes na RAM e aos turistas durante a sua estadia na Região, que solicitem a realização dos mesmos nos serviços privados de saúde da Região que sejam associados daquela entidade, bem como aos viajantes que

desembarquem no Aeroporto do Porto Santo, em voo com origem no Aeroporto da Madeira, ou vice-versa e os viajantes que embarquem no Porto do Funchal com destino à Ilha do Porto Santo, ou vice-versa.”

A execução do disposto da Resolução é

coordenada e monitorizada pela Secretaria Regional de Saúde e Proteção Civil.

10 visualizações