Buscar
  • henriquecorreia196

Reveja as exceções que evitam testes para chegar à Madeira.


Quem apresentar o certificado da UE de vacinação completa tem "livre trânsito".




O Governo Regional decidiu adotar algumas alterações relativamente aos testes à Covid-19, à chegada à Região, prevendo já a retoma da atividade de cruzeiros. A medida entra em vigor a 11 de outubro. Quem tiver certificado de vacinação da UE tem "livre trânsito".

No essencial, é determinada a necessidade de apresentar comprovativo da realização de teste PCR de despiste da infeção por SARS-CoV-2 com resultado negativo, desde que realizado no período máximo de 72 horas anteriores ao embarque, para o viajante que desembarque nos aeroportos da Região Autónoma da Madeira;


b) Apresentar comprovativo da realização de teste TRAg de despiste da infeção por SARS-CoV-2 com resultado negativo, desde que realizado no período máximo de 48 horas anteriores ao desembarque, para o viajante que desembarque nos portos da Região Autónoma da Madeira, exceto se estiver na posse de teste PCR realizado no período máximo de 72 horas anteriores ao desembarque.

Relembre as exceções:


a) As crianças até aos 11 anos de idade;

b) Os viajantes munidos de documento médico que certifique que o portador está recuperado da doença COVID-19 aquando do desembarque no território da

Região Autónoma da Madeira, emitido nos últimos 180 dias, ou de documento que certifique que o portador foi vacinado contra a COVID-19, de acordo com o plano preconizado e respeitado o período de ativação do sistema imunitário previsto no Resumo das Características do

Medicamento (RCM);


c) Os viajantes munidos de documento que certifique que o portador foi vacinado apenas com uma dose (em esquemas vacinais de duas doses), respeitado o período de ativação do sistema imunitário previsto no RCM, quando se trate de doentes recuperados da infeção por SARS-CoV-2 (após 180 dias da data de recuperação) ou diagnosticados com a infeção após a toma da primeira dose da vacina;


d) Os viajantes munidos de Certificado Digital Covid da União Europeia;

e) Para efeitos do disposto nas alíneas b) e c), apenas são consideradas as vacinas e os períodos de ativação do sistema imunitário que constam do quadro abaixo


Esta resolução de 26 de agosto estabelece a obrigatoriedade de todos os viajantes

residentes no território da Região Autónoma da Madeira, que desembarquem nos aeroportos da Madeira e Porto

Santo, em voos oriundos de qualquer território exterior à RAM, de efetuarem o segundo teste PCR de despiste ao

SARS-CoV-2 entre o quinto e o sétimo dia após a realização do primeiro teste PCR de despiste ao SARS-CoV-2, devendo garantir no período compreendido entre o

desembarque e a realização do segundo teste, o integral cumprimento da vigilância e auto reporte de sintomas e das

medidas de prevenção da COVID-19, até à obtenção do resultado negativo do segundo teste.

É determinada a obrigatoriedade de todos os viajantes emigrantes madeirenses e seus familiares, estudantes que

frequentem estabelecimentos de ensino superior situados na RAM ou fora desta ou em Programas de Mobilidade (ERASMUS ou outros), que desembarquem nos aeroportos da Madeira e Porto Santo, em voos oriundos de qualquer território exterior à RAM, de efetuarem o segundo teste PCR de despiste ao SARS-CoV-2 entre o quinto e o sétimo dia após a realização do primeiro teste PCR de despiste ao

SARS-CoV-2, devendo garantir no período compreendido entre o desembarque e a realização do segundo teste, o integral cumprimento da vigilância e auto reporte de sintomas e das medidas de prevenção da COVID-19, até à obtenção do resultado do segundo teste.



5 visualizações