top of page
Buscar
  • Foto do escritorHenrique Correia

Termina hoje o prazo para o voto antecipado; partidos temem a abstenção



Os partidos desdobram-se nos apelos ao voto antecipado para 2 de junho temendo elevados níveis de abstenção. O prazo termina hoje, 30 de junho.





Os partidos andam com receio da abstenção nas eleições europeias e já têm feito insistentes apelos para que os eleitores recorram ao voto antecipado para poderem votar a 2 de junho, mas para isso devem fazer alguns procedimentos. E se eventualmente não votarem a 2, poderão na mesma fazê-lo a 9 de junho. Mas o prazo para solicitar o voto antecipado termina hoje, quinta-feira, 30 de maio.

Assim, é possível votar antecipadamente, mesmo estando fora da Região no dia das Eleições Europeias. Até dia 30, o eleitor faz a inscrição em www.votoantecipado.pt

e eesclhe seu local de voto preferencial. Depois, no dia 2 de junho basta comparecer no local escolhido e exercer o seu direito de voto.

Esta realidade da abstenção não é nova nas eleições europeias, mas na Região as preocupações dos candidatos ainda são maiores devido às eleições regionais recentes e duas semanas depois de novo nas urnas para eleger os deputados ao Parlamento Europeu. O receio é que o eleitorado esteja cansado de eleições e não esteja suficientemente motivado a votar, sendo que os dois maiores partidos tiveram decisões diferentes relativamente aos lugares dos candidatos da Madeira, no caso Sérgio Gonçalves pelo PS, em oitavo lugar, um lugar provavelmente elegível e Rubina Leal pela AD em nono lugar e provavelmente não elegível.

A candidata do PSD-M frisou que "é com todos os Madeirenses e Porto-Santenses que conta para reforçar a voz da Madeira na Europa e para assegurar que todo o trabalho desenvolvido, até agora, possa ter continuidade. “Iremos trabalhar no sentido de obtermos o melhor resultado possível e de atingirmos os nossos objetivos”.

Sérgio Gonçalves fez notar que, se a Madeira quiser ter um representante no próximo Parlamento Europeu, tem de votar no Partido Socialista, tendo em conta que, entre os vários partidos, é o único candidato pela Madeira que tem possibilidade de ser eleito. “Nenhum outro partido conseguirá eleger um eurodeputado da Madeira. Portanto, mais do que os partidos, importa a Região Autónoma da Madeira, importa defender a nossa terra e as nossas gentes”, apelou.


6 visualizações

Comments


bottom of page