Buscar
  • Henrique Correia

Terminou o processo de canonização de Madre Virgínia Brites de Paixão


Bispo D. Nuno Brás: "Estamos confiantes de que, com a sua autoridade, irá declarar Madre Virgínia como parte daquela enorme multidão dos santos que, no Céu".




Terminou hoje a fase diocesana do processo de canonização de Madre Virgínia Brites da Paixão, aberto em 29 de Dezembro de 2006 pelo então Bispo D. Teodoro de Faria, e sempre continuado por D. António Carrilho.

Segundo publicação da Diocese "trata-se, obviamente, de um marco histórico nesse processo, mas que não inclui, como tive oportunidade de referir na homilia, qualquer juízo final acerca da sua vivência das virtudes cristãs ou das graças recebidas por tantos fiéis que a ela se dirigem. Tal juízo pertence apenas a Deus e à autoridade suprema da Igreja. A nós cabe-nos, apenas, reunir todos os materiais e testemunhos disponíveis, para que esse juízo possa ser definitivamente formulado com a plenitude do conhecimento que a nós, seres humanos, nos é permitido".

Os santos são a maior prova da existência de Deus, e de como também a nossa própria existência pode ser divinizada. Deus pode, de facto, transformar-nos. Deus pode, de facto, mudar o rumo da história e dos acontecimentos. Deus pode, de verdade, conduzir toda a humanidade à vida eterna e feliz a que chamamos Céu.

A Madre Virgínia da Paixão, na simplicidade e humildade da sua existência — mas também na ousadia e na coragem de viver a sua consagração por entre a sociedade do seu tempo — aquela mesma que tinha arrasado o seu convento das Mercês e todos os outros que lhe foi possível — a Madre Virgínia foi esta presença luminosa de Deus para o seu tempo e para os tempos que lhe sobrevieram, para os cristãos desta nossa diocese e, assim o desejamos, para toda a Igreja de Cristo espalhada pelo mundo.

Não sabemos qual o juízo final que o Santo Padre dará, depois de examinados todos os volumes deste enorme processo. Estamos confiantes de que, com a sua autoridade, irá declarar Madre Virgínia como parte daquela enorme multidão dos santos que, no Céu, louvam a Deus e intercedem por nós.

D. Nuno Brás diz que "como bispo diocesano, não posso deixar de agradecer a todos quantos trabalharam ou contribuíram, de uma ou outra forma, para a feliz conclusão deste processo. A todos nós, aqui presentes, cabe agora a tarefa de rezar para que o nome de Deus seja glorificado no reconhecimento da santidade de vida desta sua Serva, Madre Virgínia da Paixão, e para que esse momento se apresse pois que tal reconhecimento contribui para a salvação das almas".

7 visualizações