Buscar
  • Henrique Correia

Testes nos aeroportos da Madeira vão continuar até que o surto esteja controlado

O investimento aproxima-se dos 11 milhões de euros, em torno de toda a logística de equipas e testagem


O Presidente do Governo Regional referiu hoje, sexta-feira, 11 de setembro, à margem de uma visita à Escola Engenheiro Luís Santos Costa, em Machico, que a Região manterá o controlo e monitorização da COVID-19 nos pontos de entrada na Madeira e Porto Santo – aeroportos e portos – até que o surto pandémico se encontre controlado a nível global ou seja encontrada uma vacina. O investimento aproxima-se dos 11 milhões de euros, em torno de toda a logística de equipas e testagem

“Não temos outra solução, porque a única forma de controlarmos a pandemia é controlarmos as entradas na Região, quer nos portos, quer nos aeroportos. Fomos pioneiros na circunstância de fazermos o controlo nas entradas e nas saídas. Resultou. Foi extremamente positivo para a Região. E vamos continuar a fazê-lo”, concluiu Miguel Albuquerque.

Relativamente ao início do ano letivo, o presidente foi a Machico recordar que "só agora é que as aulas estão a começar", lembrando que "são 42 mil alunos e dez mil funcionários, contando já com os seis mil professores". Alerta Albuquerque que «se toda a gente cumprir com o que está definido em termos de distanciamento, de higiene e de circulação nas escolas, tudo vai correr bem".


"Fizemos a extensão dos horários e a redução do número de alunos por turma".


"É evidente que há sempre um grau de risco elevado, porque há uma grande concentração de pessoas. Há sempre situações mais difíceis de controlar, como são as entradas e saídas das escolas. Por isso mesmo é que fizemos a extensão dos horários e a redução do número de alunos por turma. Estamos ainda a proceder à higienização e desinfeção das salas de aulas e dos espaços comuns. Mas, não deixa de continuar a ser um risco», admitiu.

4 visualizações