top of page
Buscar
  • Foto do escritorHenrique Correia

Zona de restauração da Marina já "desapareceu"



Albuquerque em setembro de 2022: "Os atuais concessionários terão os seus direitos salvaguardados durante os 18 meses da obra, bem como direito de preferência".



Fotos DR







As obras na Marina do Funchal estão avançadas no processo de demolição da zona de restauração tal qual a conhecemos. As máquinas avançaram já este ano e o ritmo já é grande. A empreitada representa um investimento na ordem dos 4,9 milhões de euros.

A obra da nova Marina do Funchal inclui a demolição das estruturas existentes e a construção de novos edifícios – 13 espaços comerciais, dez quiosques e um posto da GNR –, sendo nivelada a norte, onde surgirá uma nova área de fruição.

Recorde-se que em setembro de 2022, foi apresentado o projeto e na altura o presidente do Governo considerou como sendo "uma obra estruturante para a cidade do Funchal, importante para a vivência coletiva e para elevar a qualidade da oferta turística. A ideia é transformarmos a Marina do Funchal num espaço de excelência, icónico e com grande apuramento estético”, disse Miguel Albuquerque.

Uma publicação do Executivo deu conta que "o caderno de encargos irá impor aos concessionários um conjunto de regras, tendo em vista a rigorosa manutenção das áreas delimitadas de concessão, não permitindo a introdução de elementos disfuncionais do ponto de vista estético, nomeadamente a nível do mobiliário urbano, como cadeiras de plástico, guarda-sóis com publicidade ou publicidade afixada ou colada".

O líder do Executivo sublinhou que os atuais concessionários terão os seus direitos salvaguardados durante os 18 meses da obra, bem como direito de preferência aquando da concessão, desde que cumpram as regras de qualidade plasmadas no caderno de encargos.


36 visualizações

Comentários


bottom of page