Buscar
  • Henrique Correia

Albuquerque cauteloso na Covid-19 mas "afoito" na Festa do PSD-Madeira


Não há data definida para acabar com as máscaras nos espaços interiores mas este ano a "família" social democrata vai subir à Herdade do Chão da Lagoa.




O presidente do Governo Regional mostrou-se muito cauteloso relativamente ao alívio das medidas de contenção da Covid-19, designadamente quando confrontado sobre uma eventual data para acabar com o uso das máscaras em espaços fechados. Diz que não é futurologiata, prefere a prudência "jogando à defesa" porque considera ser prematuro adiantar datas e sobretudo análises sobre a evolução da pandemia.

Miguel Albuquerque diz que vai seguir, como sempre fez e com bons resultados, as orientações da Direção Regional de Saúde e não as emanadas pela Direção Nacional de Saúde.

O presidente do Governo revela que as mortes ocorridas na Região, 96 até 24 de março, têm associadas outras patologias, pelo que não podem traduzir, em exclusivo, o reflexo da Covid-19.

Onde Albuquerque é "afoito", como diz o povo, é relativamente à Festa do PSD Madeira, na Herdade do Chão da Lagoa. Diz sem reservas que vai haver a Festa, interrompida pela pandemia, mas que normalmente se realiza no último fim de semana de julho reunindo milhares de pessoas. Falta saber se nessa altura as máscaras já "caíram".

As declarações de Miguel Albuquerque foram prestadas à margem da visita à sala do tesouro da Ribeira Brava, na igreja matriz, que abre agora ao público. "Uma obra desenvolvida pela paróquia da Ribeira Brava, a partir do projeto arquitetónico e de museografia concebido pela Direção de Serviços de Património Cultural da Secretaria Regional de Turismo e Cultura, tendo resultado num espaço expositivo que reúne 66 alfaias litúrgicas em prata e quatro esculturas de finais do século XVI", refere uma nota do Governo.

12 visualizações