top of page
Buscar
  • Henrique Correia

Albuquerque mantém para 2023 o Complemento Solidário para os Idosos


A área social é a que tem maior peso (70%) orçamental na ação governativa.



O presidente do Governo Regional deixou hoje um objetivo e um anúncio da sua governação para 2023, o último ano deste mandato da coligação regional PSD/CDS: por um lado, manter os níveis de desenvolvimento económico de 2022, por outro o Complemento Solidário para os Idosos é para continuar, "sobretudo aos que têm as pensões mais baixas, falando em apoio muito importante para os mais vulneráveis". As declarações foram prestadas no âmbito do almoço de Natal, no pavilhão dos Prazeres, dos mais de 60 anos do concelho da Calheta , uma iniciativa da Câmara Municipal local.

Este apoio, diz Miguel Albuquerque, "pretende, sobretudo, complementar as pensões de reforma mais baixas e que representa um investimento governamental acima dos quatro milhões de euros , por ano".

Prometeu ainda continuar com um conjunto de apoios sociais e de Saúde, no sentido de prosseguir com a ajuda aos mais idosos, sobretudo aos que têm pensões mais baixas, garantindo-lhes qualidade de vida, refere uma publicação nas plataformas digitais.

Para além da ajuda direta do Governo, esta população mais carenciada recebe ainda apoio de instituições sociais, bem como das Casas do Povo e das autarquias, muito dele na sequência de contrato-programa celebrados com o Executivo madeirense.

Aliás, segundo Miguel Albuquerque, a área social é a que tem maior peso orçamental na ação governativa. O governante acentou que 70% do Orçamento Regional são para as funções sociais.

5 visualizações
bottom of page