top of page
Buscar
  • Duarte Azevedo

As origens no Desporto Escolar de Fátima Pinto


Sempre com o apoio da família - a mãe, Maria Isabel, era uma presença constante e incentivadora.



A madeirense Fátima Pinto é presença assídua na seleção de Portugal de futebol, e, mesmo não sendo ultimamente habitual titular, tem muitos minutos jogados. 

Ainda no jogo da quarta-feira, frente aos Camarões, cuja vitória (2-1) significou o passaporte para uma presença lusa inédita no Campeonato do Mundo, Fátima atuou na última meia hora. Outra madeirense, Telma Encarnação, viu do 'banco' o apuramento português e foi das que mais festejou...

Quanto a Fátima Pinto, é curioso verificar que o seu percurso futebolístico teve muito a ver com o Desporto Escolar. Com o Desporto Escolar e, também, com o 'desporto na escola' já que o estabelecimento de ensino que frequentou nos dois primeiros ciclos, Escola Salesiana de Artes e Ofícios, proporciona(va) e incentiva(va) essa prática.

Num tempo em que as miúdas que optavam pelo futebol não tinham espaço competitivo - a Associação de Futebol da Madeira só há cerca de 6 anos tem provas para os escalões femininos mais jovens - e a presença em equipas masculinas não era assim tão frequente - como, por exemplo, foi, já, no tempo de Telma -, Fátima conseguia expressar os seus enormes dotes futebolísticos exibindo-se no Desporto Escolar. 

Foi exemplo disso a excelência demonstrada na Final do Futebol Feminino do I Ciclo, acontecida em Maio de 2006 no Estádio dos Barreiros, que juntou escolas de todos os concelhos da Madeira. A equipa dos Salesianos, como ainda está bem presente na memória (!), demonstrou enorme superioridade muito devido à performance de Fátima Pinto que, como se comprova, desde muito cedo evidenciou imensa aptidão para a prática do futebol.

Sempre com o apoio da família - a mãe, Maria Isabel, era uma presença constante e incentivadora -, Fátima deparou-se com o problema de, na sua altura, apenas haver futebol feminino federado no escalão sénior. Mas, dada a qualidade tida, o clube ligado aos Salesianos, Juventude AC, foi um bom porto até ao ingresso noutro estabelecimento de ensino e, aqui, também ao tempo uma verdadeira 'escola do futebol feminino', muito por ação de Rogério Fernandes: a APEL.

Daí para cá, o percurso é mais conhecido: o salto para o Ouriense antes de duas épocas em Espanha (Santa Teresa CD) e de sete no Sporting CP, com vários títulos. Esta época o regresso a Espanha (Alavés) e a 77ª internacionalização no jogo mais importante do futebol feminino português.

Quem a viu jogar naquele Maio de 2006 em pleno relvado os 'Barreiros' perspetivava facilmente este rico percurso futebolístico à Fátima...

15 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page