Buscar
  • Henrique Correia

Deputados do PSD-M justificam voto com os "interesses da Região"



As conquistas que valeram o "furo" à disciplina partidária: "Reforço das garantias do Estado, o pagamento das receitas fiscais à Região e a possibilidade do CINM passar a admitir novas empresas, para além da fiscalidade indireta sobre o Rum".




Foi um sentido de voto que responde ao "interesse superior da Região e do País". Foi esta a explicação dos deputados do OSD-M na Assembleia da República, hoje, onde se abstiveram na votação do Orçamento de Estado de um governo socialista. Contra a sua própria bancada, do PSD, que votou contra.

“A razão maior que nos levou a abster-nos na votação a este Orçamento do Estado, para além da abertura e validação registadas, por parte do Governo da República, quanto a propostas que assumimos, desde a primeira hora, como essenciais para o futuro da Região, prende-se com o interesse superior da Região e do País e com o facto de termos já garantias de boas concretizações no que respeita a dossiês fundamentais para o futuro da Madeira, como é o caso da Zona Franca”, afirmam os deputados do PSD/Madeira Sérgio Marques, Sara Madruga da Costa e Patrícia Dantas, numa pública no site do PSD-M.

Apontam as conquistas, designadamente "o reforço das garantias do Estado, o pagamento das receitas fiscais à Região e a possibilidade do CINM passar a admitir novas empresas, para além da fiscalidade indireta sobre o Rum".

“Efetivamente, conseguimos fazer aprovar essas propostas de alteração em função de uma abertura e de uma capacidade de concertação que não existiam no passado e que queremos continuar a reforçar, até porque é do interesse da Madeira, que colocamos sempre em primeiro”, salientam, vincando que houve, neste processo, “um verdadeiro trabalho de equipa”, dentro do qual destacam, em particular, a interligação que foi possível de estabelecer entre “o Primeiro-Ministro e o Presidente do Governo Regional da Madeira e entre o Ministro das Finanças, a Ministra dos Assuntos Parlamentares e o Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, os deputados do PSD/M, o Grupo Parlamentar do PS e o Secretário Regional das Finanças”.


8 visualizações